O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) aplicou multa de R$ 3 mil à enfermeira filmada espancando um cachorro da raça Yorkshire em Formosa, cidade goiana no Entorno do Distrito Federal. Segundo o órgão, a mulher tem 20 dias para apresentar defesa.
A punição é baseada no artigo 32 da Lei 9.605, de 1998, e no artigo 29 do Decreto 6514 de 2008, que regulam crimes ambientais. Segundo o órgão, a multa é administrativa e independe das investigações nas esferas civil e criminal.
Em depoimento à polícia na manhã desta terça-feira (20), ela disse ter ?profundo arrependimento pela morte do animal, segundo o advogado dela, Gilson Saad. Postado no YouTube, o vídeo das agressões já teve mais de um milhão de acessos.
Saad disse que a enfermeira afirmou que agrediu o cachorro porque o animal havia bagunçado a casa enquanto ela, o marido e a filha estavam em um restaurante. ?Ela disse que perdeu a cabeça.?
No depoimento que prestou nesta segunda-feira por carta-precatória, o homem que registrou as agressões disse já ter visto a enfermeira bater em outro cachorro. O fato teria ocorrido um mês e meio antes das imagens publicadas no Youtube.
?Ela não espancou como fez com o cachorrinho, mas deu umas palmadas. Ela me viu na sacada e parou. Depois entrou [em casa]. Isso ficou na minha cabeça quando comecei a filmar [o espancamento do cachorro que morreu]?, declarou.
O advogado da enfermeira negou as denúncias. ?É uma informação que não procede. Primeiro porque não tenho informação sobre esse cachorro [Shih-tzu]. Como ele pode ter visto esse cachorro anteriormente? […] Não estou dizendo que o rapaz está faltando com a verdade, mas tem algo desencontrado?, disse Saad.

Comentários
COMPATILHAR: