Segundo a Marinha, o barco foi abordado pela equipe de inspeção naval da Capitania dos Portos no dia 19 de janeiro, em Manacapuru, tendo sido apreendido por não possuir a documentação exigida, além de estar navegando sem tripulação habilitada.
Naturalmente, esta embarcação não deveria estar em operação na ocasião do acidente, por estar apreendida. Na ocasião, conforme preconiza uma Norma da Autoridade Marítima, o proprietário foi instado a comparecer à Capitania dos Portos em Manaus, a fim de apresentar sua defesa prévia e a documentação necessária para regularizar a situação da referida embarcação, o que não ocorreu até a presente data, diz a nota.
As informações iniciais apontam que a embarcação estava se deslocando para Manacapuru após uma festa na localidade de Lago Pesqueiro. A Marinha informou que cerca de 110 pessoas estavam à bordo do Comandante Sales.
O 9º Distrito Naval destacou ainda que a Capitania dos Portos enviou uma embarcação para prestar o apoio inicial. Segundo o Corpo de Bombeiros, algumas pessoas conseguiram nadar até a margem do rio, mas não há informações sobre o número de sobreviventes.

COMPATILHAR: