A Polícia Civil concluiu o inquérito sobre a perseguição que terminou na morte de um sargento da Polícia Militar no dia 16 de maio, em Boa Esperança.

De acordo com a polícia, um jovem de 21 anos, se entregou à polícia no dia 20 de maio, confessou ter feito os disparos que mataram o sargento Rodrigo Sarto, de 37 anos.

Ainda de acordo com a polícia, o suspeito foi indiciado por homicídio qualificado contra servidor de segurança pública no exercício da função. Um outro suspeito do crime morreu após ser baleado pela polícia.

O crime

Segundo a Polícia Militar, o sargento estava em uma equipe que fazia um patrulhamento na Avenida Brasil, próximo à rodovia BR-265, quando viu uma motocicleta furtada. Os dois ocupantes não respeitaram o sinal de parada dos policiais e foram perseguidos até o bairro Populares.

No local, os dois homens caíram da moto e entraram em um matagal. Os policiais começaram às buscas à pé. O sargento não foi mais visto. Um dos colegas ouviu disparos de arma de fogo.

O policial ficou desaparecido por quase três horas. Após buscas dos demais militares, com ajuda de equipes de Varginha, Rodrigo foi encontrado inconsciente na vegetação, com um ferimento na cabeça.

Ele chegou a ser socorrido até o pronto-socorro de Boa Esperança, mas morreu. Ainda segundo a polícia, o sargento era natural de Três Pontas e deixa esposa e um filho. O corpo dele foi enterrado no Cemitério Municipal de Varginha com honras militares no dia 17 de maio.

Três dias depois, um dos suspeitos de participação no crime morreu na Santa Casa de Campo Belo. Ele estava internado em estado grave após ter sido baleado um dia antes em Cristais. Segundo a Polícia Militar, Abner Santos foi atingido em uma troca de tiros. Ele estava foragido desde o dia do crime.

Fonte: 104 FM

Comentários