A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) começou, na última semana, uma nova distribuição de sedativos para hospitais com níveis de disponibilidade de medicamentos considerados críticos. Desta vez, 156.110 unidades de remédios que integram o “kit intubação” foram encaminhados para 97 unidades hospitalares, em 73 municípios, incluindo Divinópolis, Itaúna, Oliveira, Itapecerica, Formiga, Pará de Minas e Santo Antônio do Monte, no Centro-Oeste.

Segundo a SES-MG, os insumos são suficientes para cobertura de quatro a 10 dias.

Semanalmente, o Estado tem disponibilizado os medicamentos de acordo com monitoramento de estoques periódico. Os itens são essenciais para a sedação dos pacientes em tratamento da covid-19.

O propofol, o midazolam e o diazepam foram adquiridos pelo Governo de Minas e o fentanil, pela União. Segundo a SES-MG, os insumos são direcionados para instituições que se encontram com níveis de disponibilidade dos medicamentos considerados críticos.

CidadeHospitalQuantidade (Unidades)
FormigaHospital de Campanha Covid240 Midazolam + 100 Diazepam + 550 Fentanil
FormigaSanta Casa55 Midazolam + 50 Diazepam +227 Fentanil
ItaúnaHospital Manoel Gonçalves1.014 Diazepam + 6.182 Fentanil
DivinópolisHospital de Campanha e UPA500 Diazepam
ItapecericaSanta Casa57 Diazepam
Pará de MinasHospital Padre Libério205 Diazepam + 1.392 – Fentanil
Nova SerranaFundação hospitalar São Vicente de Paula162 Diazepam
OliveiraSanta Casa64 Diazepam
Santo Antônio do MonteSanta Casa80 Midazolam + 10 Propofol
Fonte: SES – MG

Monitoramento

A SES-MG, juntamente com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (Cosems-MG), faz o levantamento periódico dos quantitativos dos prestadores e fornecedores de medicamentos e insumos das unidades hospitalares.

Também é monitorado o abastecimento de fármacos nas redes públicas e privadas de assistência médico-hospitalar, que devem informar regularmente à SES-MG sobre estoques disponíveis de medicamentos e insumos.

O procedimento é feito a partir da autodeclaração e preenchimento de formulário. Assim que cada remessa chega ao estado, o resultado do monitoramento semanal é analisado para distribuição aos hospitais em situação mais crítica e conforme disponibilidade do estoque. A sugestão de distribuição é validada junto a uma comissão da SES-MG e do Cosems-MG.

Fonte: G1

Comentários