O número de consumidores inadimplentes com contas de energia atrasadas na Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) chegou a 550 mil pessoas em julho.

O valor da conta tem gerado dificuldade para os clientes na hora do pagamento. Em maio de 2019, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o reajuste de 6,93% nas tarifas residenciais da companhia. De acordo com a Cemig, o aumento foi para compensar os custos da empresa com a compra de energia.

Atualmente, 8,5 milhões de clientes são atendidos pela Cemig nas 774 cidades onde atua em Minas. Os problemas e as vivências também são diversos para quem não consegue quitar as dívidas ou pagar as contas em dia. Como é o caso do motoboy Anderson Roger Gomes de Oliveira, que atualmente trabalha como freelancer entregando comida para três empreendimentos em período integral.

Nesta segunda-feira (15), Anderson procurou atendimento da Agência da Cemig para quitar uma dívida e esclarecer os motivos pelos quais ele está recebendo contas com o dobro dos valores dos últimos meses. Em maio por exemplo, ele recebeu uma de R$170 e no último mês chegou outra de R$ 337,30.

“Esse valor me prejudica, por isso deixei a conta atrasar. Quase não fico em casa, saio cedo e volto depois do almoço. Além de morar sozinho, a noite vou entregar pizza e hambúrguer. Não faz sentido esse valor ter vindo tão alto. Até na empresa que trabalho, que é comercial, a conta não passa de R$200”, reclamou Anderson ao portal G1.

Conforme as dívidas vão acumulando, a chance de cortar a luz também aumenta. É a realidade de César Alves, que atualmente está desempregado, mora com as filhas de 12 e 18 anos, e tenta sobreviver com a renda de doces e salgados que eles vendem nas ruas da capital mineira. César também procurou atendimento na Agência da Cemig para negociar as contas de maio, junho e julho. Ele, que teve a energia de sua casa cortada na última semana, tem recebido ajuda de vizinhos para armazenar alimentos e a insulina, utilizada para controlar sua diabetes.

Para César, a quantidade de pessoas inadimplentes também é resultado da falta de uma relação mais próxima entre os clientes e a Cemig. “Comigo é a primeira vez que isso acontece, mas onde moro muitas pessoas já passaram por esse mesmo problema. A maior dificuldade é não ter uma ouvidoria adequada. A gente vem aqui, recebe a segunda via, mas ninguém quer saber qual é a nossa realidade”.

Contas em atraso

Segundo o Código de Defesa do Consumidor, o cliente precisa ser comunicado do corte com 15 dias de antecedência. Caso o consumidor não tenha recebido o aviso, o corte é considerado indevido. Em caso de inadimplência, a Cemig pode fazer o desligamento em até 90 dias.

A Cemig informou que caso o cliente opte por fazer a negociação das faturas em atraso para evitar a suspensão do fornecimento de energia, ele pode acessar a agência virtual da Cemig e selecionar a opção de parcelamento de débitos. Outra alternativa é procurar uma agência ou ponto de atendimento e verificar as condições de parcelamento dos débitos.

 

 

Fonte: G1||

Comentários
COMPATILHAR: