Cerca de 72% das ligações direcionadas ao serviço do 190, da Polícia Militar, são trotes, pedidos de informações ou ligações destinadas a outros órgãos. O percentual foi divulgado pela corporação durante audiência realizada nesta quinta-feira (15) na Assembleia Legislativa.
A reunião foi motivada pelo aumento no número de reclamações pela população, insatisfeita com o serviço. Apenas 28% das ligações são realmente relacionados a emergências policiais, contou o chefe do Centro Integrado de Comunicações Operacionais (Cicop), tenente-coronel Marcus Vinícius Veloso Lima. Ele usou o número de ligações erradas como justificativa para a crescente demora no atendimento.
Para o presidente da Comissão de Segurança Pública, deputado João Leite (PSDB), esse desvio nas ligações causa demora e desgaste no atendimento. É preciso que a população tenha uma conscientização para a melhora no serviço. O deputado disse que entrou com um pedido para criar uma campanha educativa nas mídias e escolas para orientar as pessoas sobre o uso correto do 190.
Demanda
O 190 atende a cinco milhões de habitantes de Belo Horizonte e região metropolitana. Os 236 atendentes, orientados por 24 policiais, recebem cerca de 15 mil ligações por dia.

Comentários