Um estudo publicado na revista científica PNAS sugere que a prática de exercícios seja feita na juventude, pois o processo de adição de núcleos aos miócitos (célula muscular) é mais lento em idosos. A pesquisa também traz uma boa notícia para quem já suou para ganhar músculos e depois abandonou a atividade. A conclusão é de cientistas da Universidade de Oslo, na Noruega.
Experimento feito em camundongos mostra que o corpo lembra desse período de exercícios intensos, o que facilita a recuperação da forma física no futuro. A origem dessa memória muscular está exatamente nos miócitos.
Após intensa atividade física, novos núcleos são adicionados às fibras musculares existentes. Esses núcleos estimulam a produção de proteínas, aumentando o volume do músculo.
Os cientistas confirmam ainda que os músculos atrofiam após um período de desuso. Entretanto, pensava-se que a perda de massa muscular estava ligada à queda no número de núcleos em miócitos ou à morte dessas células. Mas os pesquisadores de Oslo descobriram que a quantidade de núcleos permanece praticamente inalterada após um longo período de desuso. A massa muscular é reduzida por alterações no volume do miócito, não por apoptose (morte celular).

Comentários
COMPATILHAR: