A funcionária da cozinha Silmara Cristina Andrade, de 51 anos, da escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), foi a primeira profissional da educação vacinada contra a Covid-19 desta categoria no estado de São Paulo. A escolha da escola estadual em Suzano como sede para a primeira vacinação é um ato simbólico.

O estabelecimento foi palco de um massacre, em 13 de março de 2019, quando um ex-aluno, Guilherme Taucci, 17, e Luiz Henrique de Castro, 25, entraram no colégio armados e atiraram e mataram cinco estudantes e duas funcionárias. Outras 11 pessoas saíram feridas do ataque.

Silmara foi uma das pessoas que ajudaram os estudantes a se esconder na cozinha durante o ataque – foram cerca de 50 alunos que permaneceram na área da cozinha até que chegasse a polícia. “Não esperava que ia ser tão rápido. É muita emoção”, disse a merendeira, que recebeu a primeira dose da enfermeira Jéssica Pires, na manhã de sábado (10), com lágrimas nos olhos de felicidade. Silmara trabalha na cozinha da escola há 11 anos.

A vacinação dos profissionais de educação estava prevista para a próxima segunda-feira (12), mas foi antecipada para este sábado. Além dos professores, serão vacinados todos os profissionais da área de educação como merendeiras, secretaria,

O evento que marcou início da vacinação nos profissionais de educação ocorreu na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, região da Grande São Paulo, e contou com a presença do governador João Doria (PSDB) e dos secretários de Educação, Rossieli Soares, e da Saúde, Jean Gorinchteyn.

“É a primeira escola do Brasil, não só do estado de São Paulo, a iniciar a vacinação dos profissionais de educação na sua cidade”, disse Doria.
Após Silmara, o segundo a receber a vacina foi o professor de matemática, também da escola Raul Brasil, Aguinaldo dos Reis Xavier, 49, que afirmou, pela regra de idade, só iria receber a vacina após as vezes das pessoas com 50 anos ou mais.
“A sensação é de emoção, realização. Não doeu nada. Estou aliviado. Só na minha rua duas pessoas morreram (de Covid), dá muito medo”, disse o professor.

De acordo com a Secretaria Estadual de Educação, serão imunizadas mais de 350 mil pessoas, representando 40% de todos os profissionais da educação básica em São Paulo.

Questionado sobre quantas pessoas já haviam feito o cadastro até a última sexta-feira (9), mais de 463 mil, o secretário estadual da educação Rossieli Soares disse que esses 350 mil se referem aos profissionais com mais de 47 anos, mas já estão adiantando o cadastro de outros profissionais.

“Temos um cadastro diferente dos outros para ter a segurança que é um profissional, realmente frequenta a escola, justamente para quem está na atividade e precisa (da vacina) para ter um retorno seguro”.

Fonte: O Tempo Online

Comentários
COMPATILHAR: