Minas Gerais antecipou a campanha de vacinação contra a influenza, infecção que provoca várias doenças respiratórias, dentre elas a gripe. Neste ano, a ação começará no dia 10 de abril em todos os postos mineiros, duas semanas antes do que no ano passado. A campanha prosseguirá até 31 de maio. O Dia D de Mobilização Nacional será em 4 de maio.

Conforme a Secretaria de Estado de Saúde (SES), outra novidade é que o público-alvo foi ampliado. Até 2018, somente crianças com até 4 anos puderam receber a vacina gratuitamente. Agora, a dose será aplicada em menores de seis anos – 5 anos, 11 meses e 29 dias.

Além dos pequenos, também fazem parte do público-alvo adultos acima de 60 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, professores, povos indígenas e portadores de doenças crônicas. Adolescentes e jovens apreendidos, a população carcerária e agentes prisionais também podem receber a vacina sem custo.

Em Minas, a meta é imunizar 6.018.977 pessoas, o que representa 90% do público-alvo. Para organizar melhor a campanha, a SES montou uma estratégia para mobilizar a população. A intenção do Estado é vacinar as crianças e atualizar a caderneta entre os dias 10 e 19 de abril.

Do dia 22 abril até o dia 31 de maio, serão imunizados os demais grupos prioritários. No período, “também ocorrerá a atualização da Caderneta de Vacinação de crianças de 6 meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias, além das gestantes”, frisou a SES.

Números

No ano passado, 98 pessoas morreram por gripe em Minas. O número foi quase o dobro do registrado em 2017, quando 50 moradores perderam a vida em decorrência do vírus influenza. Conforme a Secretaria de Saúde, mais 320 óbitos foram notificados por outras doenças da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

No ano passado, a meta de vacinação foi alcançada – ficou em 95,80% – após a campanha ser prorrogada algumas vezes. Apesar isso, a imunização das crianças e das grávidas ficou abaixo da recomendação do Ministério da Saúde, que era de 90%.

Imunização x prevenção

De acordo com o Ministério da Saúde, o período de maior circulação da gripe no Brasil vai de maio até agosto. Como o organismo leva, em média, de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção contra a doença após a vacinação, o ideal é realizar a imunização antes do início do inverno, que começa em junho.

Ainda conforme a pasta, a vacina é um dos métodos de proteção contra a gripe. Contudo, outros cuidados são essenciais para evitar contrair a doença, como lavar as mãos, ter cuidado ao tossir e usar lenços descartáveis.

Confira todos os cuidados:

  • Proteja o nariz e a boca. Cubra-os enquanto espirra ou tosse e use lenços descartáveis;
    • Evite tocar a boca e o nariz;
    • Lave as mãos com água e sabão e use álcool gel 70% regularmente, especialmente depois de tocar o nariz e a boca ou superfícies que possam estar contaminadas;
    • Melhore a circulação de ar abrindo as janelas;
    • Evite ficar por muito tempo em locais com grande aglomeração de pessoas;
    • Mantenha hábitos saudáveis: coma bem, durma bem e faça exercícios.
    • Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

Quem apresenta os sintomas da gripe deve:

  • Evitar sair de casa em período de transmissão da doença (até 7 dias após o início dos sintomas);
    •Restringir ambiente de trabalho para evitar disseminação do vírus;
    • Evitar aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados;
    • Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos

 

 

Fonte: Hoje em Dia ||

Comentários
COMPATILHAR: