Minas Gerais já tem 30 casos de sarampo confirmados neste ano, sendo quatro no primeiro trimestre e 26 a partir de junho, quando houve um aumento na cadeia de transmissão, totalizando 1.107 notificações em 183 municípios mineiros. Desses, 488 foram descartados e 593 estão em investigação. Os números foram divulgados nesta quarta-feira (25), pela Secretaria de Estado de Saúde. 

Os quatro casos confirmados no primeiro trimestre foram de residentes dos municípios de Belo Horizonte, Contagem e Betim, tendo esta cadeia como caso índice, um viajante vindo da Europa.

Já a maioria dos 26 casos confirmados nos últimos 90 dias, está relacionada à importação do vírus de doentes que estiveram no estado de São Paulo ou por contato direto com quatro doentes paulistas das cidades de São Paulo-SP (1), Jundiaí-SP (1) São Bernardo do Campo (1) e Araras-SP (1).

A exceção deste vínculo paulista foi para os casos das cidades de Betim, Ribeirão das Neves, Unaí e Muriaé, onde não foram identificadas as origens de contato dos doentes.

Situação epidemiológica

Em 2018, o Brasil enfrentou a reintrodução do vírus do sarampo, com a ocorrência de surtos em onze estados, com um total de 10.326 casos confirmados. Os estados afetados foram Amazonas (9.803), Roraima (361), Pará (79), Rio Grande do Sul (46), Rio de Janeiro (20), Sergipe (4), Pernambuco (4), São Paulo (3), Bahia (3), Rondônia (2) e Distrito Federal (1). Minas ainda não aparecia na lista de afetados.

Nos primeiros meses de 2019, o Ministério da Saúde constatou o fim da transmissão do vírus do sarampo na região Norte do país. Alguns meses após, casos importados de Israel, Malta e Noruega iniciaram uma nova cadeia de transmissão no Brasil e Minas passou a registrar a doença. Ao todo, foram notificados 28.525 casos suspeitos no Brasil. Desses, 17.713 foram descartados, 3.339 foram confirmados e 2.957 ainda estão em investigação.

Até agora foram confirmados quatro mortes por sarampo no Brasil, três no Estado de São Paulo e um no estado de Pernambuco. Três óbitos ocorreram em menores de 1 ano de idade e um em um indivíduo de 42 anos. Apenas um dos casos era do sexo feminino e nenhum era vacinado contra o sarampo. 

Quem deve se vacinar contra o sarampo?

  • Dose zero: Devido ao aumento de casos de sarampo em alguns estados, todas as crianças de 6 meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas (dose extra).
  • Primeira dose: Crianças que completarem 12 meses (1 ano). 
  • Segunda dose: Aos 15 meses de idade, última dose por toda a vida. 

Adulto deve se vacinar contra o sarampo? 

  • Se você tem entre 1 e 29 anos e recebeu apenas uma dose, recomenda-se completar o esquema vacinal com a segunda dose da vacina. 
  • Quem comprova as duas doses da vacina do sarampo não precisa se vacinar novamente.

Não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão ou não se lembra? 

  • De 1 a 29 anos – São necessárias duas doses.
  • De 30 a 49 anos – Apenas uma dose. 
  • A vacina é contraindicada durante a gestação pois são produzidas com o vírus do sarampo vivo, apesar de atenuado. 

A doença

O sarampo é uma doença viral, infecciosa aguda, grave, transmissível, altamente contagiosa e comum na infância. Começa com febre, exantema (manchas avermelhadas que se distribuem de forma homogênea pelo corpo, com direção cabeça-membros), sintomas respiratórios e oculares.

No quadro clínico clássico as manifestações (além da presença de febre e exantema maculopapular) incluem tosse, rinorréia (rinite aguda), conjuntivite (olhos avermelhados), fotofobia (aversão à luz) e manchas de koplik (pequenos pontos esbranquiçados presentes na mucosa oral).

A transmissão ocorre de pessoa a pessoa por meio de secreções (ou aerossóis) presentes na fala, tosse, espirros ou até mesmo respiração.

Fonte: SES-MG

 

Fonte: Hoje em Dia ||
Comentários
COMPATILHAR: