Nesta quarta-feira (23), o Ministério Público, responsável pelo controle externo da atividade policial de Formiga, juntamente com a polícia penal, a polícia civil e polícia militar, deflagrou a Operação Norton, que tem por escopo investigar a prática do crime de corrupção no presídio local.

O Portal apurou que a operação visa esclarecer o fato do envolvimento de um policial penal que estaria facilitando a entrega de celulares no interior da Penitenciaria Regional de Formiga.

As investigações se iniciaram em outubro de 2.020, quando a Polícia Penal trouxe ao Ministério Público elementos probatórios a respeito de um policial penal que trabalha no presídio local estar recebendo valores a título de propina para passar celulares para os detentos.

Apurou-se que as propinas recebidas pelo policial variavam entre R$ 12 mil e R$ 80 mil, e se destinavam a entrega dos celulares aos presos integrantes de facções criminosas com penas altíssimas para cumprir.

O policial penal foi afastado de suas funções mediante ordem judicial, que foi cumprida nesta manhã.  Também foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão nas residências do investigado.

Participaram da operação 02 (dois) policiais militares, 04 (quatro) policiais civis e 04 (quatro policiais penais), além do apoio pontual do GAECO Central e GAECO Divinópolis.

Do nome da operação

O nome da operação “Norton” tem relação com a novela escrita por Stephen King e publicada em 1982, Rita Hayworth e a redenção de Shawshank. Essa novela foi adaptada para o cinema como The Shawshank Redemption, no Brasil foi chamado de Um sonho de liberdade.

A história conta sobre Andy Dufresne, banqueiro, condenado pelo duplo assassinato da esposa e do amante dela, em 1948. Ele é enviado para Penitenciária Estadual de Shawshank, onde conhece Red, outro prisioneiro, que conseguia artigos de fora da penitenciária. Andy passa a pedir a Red vários pôsteres de mulheres entre outros artigos.

 Certo dia Andy escuta um guarda reclamar dos impostos devidos a uma herança recebida, então ele se aproxima do guarda e lhe diz uma forma de, legalmente, driblar os impostos. A partir daí Andy passa a fazer a papelada financeira para os guardas e até mesmo para a direção.

O personagem consegue respeito do diretor corrupto de Shawshank, Samuel Norton. Ao perceber as habilidades financeiras de Andy, ele começa um programa chamado “Ao ar livre”, onde condenados trabalham fora da prisão com salários de escravos. As empresas não podiam competir com isso e subornavam o diretor para conseguir os contratos. Andy ajuda Norton lavar o dinheiro.

No decorrer dos anos ele conhece outro preso, Tommy Willians cuja história se enquadra exatamente na de Andy, que percebe que essa história poderia resultar em um novo julgamento e uma chance de liberdade. Entretanto, o diretor Samuel Norton zomba dele e leva Tommy para outro presidio, uma vez que via em Andy muita utilidade, e que sabia detalhes sobre negócios escusos, e assim não podia perde-lo.

Após vários anos presos, Andy desaparece de sua cela. Depois de pesquisar a prisão e a área circundante sem encontrar nenhum sinal dele, o diretor aparece na cela de Andy e descobre que o cartaz atual colado à sua parede cobre um buraco do tamanho de um homem. Andy tinha usado seu cinzel não apenas para moldar rochas, mas também para lascar lentamente a parede. Depois de abrir o buraco, ele furou um tubo de esgoto, se arrastou por ele, saiu em um campo além do perímetro exterior da prisão e desapareceu. Seu uniforme da prisão foi encontrado a duas milhas de distância do tudo emissário.

Fonte sobre o livro: Wikipédia

Comentários
COMPATILHAR: