O saco de ração de cachorro de 15 kg está dentro da casa de Jorge Gomes Nonato, de 51 anos. É dali que, por muitas vezes, ele tirou o que comer. Desempregado há cerca de seis anos, com a geladeira vazia, o morador de Igarapé, na região metropolitana de Belo Horizonte, precisou misturar ração com feijão para almoçar e jantar. Em conversa com a reportagem de O Tempo, na manhã desta quinta-feira (29), ele contou as dificuldades que passa.

Nessa quarta-feira (28), a história de Jorge viralizou nas redes sociais depois que um amigo gravou as condições em que ele vive. 

Veja o vídeo

Após o vídeo viralizar, Jorge ganhou alguns alimentos. “Aqui estava faltando tudo: alimento, uma vida melhor, emprego. Muitas vezes não tinha nada aqui e, por isso, comi a ração. Ficar com fome não pode. A ração tem nutrientes, carne, osso. Misturei a ração no feijão para ter o que comer”, desabafou. 

O último dia que Jorge comeu ração foi na segunda-feira (26). “Eu não desejo isso para ninguém. Isso é muito triste. Minha geladeira só tinha água e gelo”, contou. 

O homem mora com cinco cachorros em uma casa de três cômodos, sem banheiro. A fiação elétrica está exposta e com risco de curto-circuito. As necessidades fisiológicas são feitas do lado de fora do imóvel. 

Jorge diz que tem duas filhas que moram em Belo Horizonte. A renda dele se resume a R$ 150 que ganha de auxílio. 

“A depressão é o que mais me machuca. A depressão vem e a gente fica muito derrotado, sem reação. Agora estão aparecendo anjos e estou começando a ficar feliz”, afirmou enquanto chorava. 

Amor pelo Galo

Jorge torce para o Atlético, e o vídeo já chegou ao conhecimento do clube. Na parede da cozinha, ele tem o relógio com o escudo do Atlético 

“Acompanho os jogos, ontem mesmo vi a vitória. O time é muito bom, tem o Hulk. Se eu pudesse gostaria de conhecer ele e os outros jogadores também”, disse. 

Vídeo gravado por amigo

O vídeo de Jorge foi gravado pelo amigo dele, Cleison Borges Souza. Há alguns anos, os dois trabalharam juntos.

“Eu já faço um trabalho social na cidade. Na segunda soube que ele estava precisando de ajuda. Vim na terça-feira e trouxe uma cesta básica. Fiz o vídeo para divulgar entre amigos para outras pessoas ajudarem. E foi parar na internet. Meu coração explodiu de alegria”, explicou. 

Quem quiser e puder ajudar o Jorge pode entrar em contato com o Cleison pelo telefone (31) 9 9328-3193.

Auxílio

Após a repercussão do caso, a prefeitura de Igarapé afirmou que a assistência social e a secretaria municipal de Saúde vão dar suporte a Jorge. “Ofereceremos algumas vagas de emprego disponíveis no site”, diz a assessoria de imprensa em comunicado. Uma equipe de capina e poda também vai à casa dele para uma limpeza, e a equipe de zoonose dará suporte aos cachorros.

Fonte: O Tempo

Comentários
COMPATILHAR: