O incêndio em uma clínica de recuperação para dependentes químicos no bairro Itacolomi em Divinópolis, na noite dessa quinta-feira (26), pode ter sido causado por moradores da região, que estavam insatisfeitos com o funcionamento da instituição no bairro.

A suspeita é da Polícia Civil, que instaurou inquérito nesta sexta-feira (27).

“Havia muitas reclamações da instalação dessa clínica pelos moradores do bairro. Segundo as informações que temos, os moradores acreditam que aumentaram os números de arrombamentos e furtos a residências depois que a clínica passou a funcionar, por isso a polícia trabalha com essa hipótese”, explica Nunes.

A Prefeitura informou que a clínica não tem registro no município e, por essa razão, é considerada clandestina. Desde 2017, uma força-tarefa conduzida pelo Executivo trabalha para identificar e regularizar as clínicas para dependentes químicos na cidade.

De agosto do ano passado até março de 2018, foram fechadas 11 clínicas na cidade. Segundo a Prefeitura, três delas estão em processo de regularização.

O incêndio

Segundo a Polícia Militar, a unidade foi invadida por volta das 22h de quinta-feira por pessoas armadas.

Foi constatado pela polícia que o grupo, cujo número de integrantes ainda não foi determinado, fez vários disparos no local, onde os internos estavam dormindo. Em seguida, os criminosos colocaram fogo na instituição e ordenaram que os internos saíssem.

Três homens, de 32, 37 e 54 anos, ficaram presos nos escombros e morreram carbonizados. Outras nove pessoas, com idades entre 32 e 55 anos, conseguiram sair da unidade e foram atendidas por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Corpo de Bombeiros.

(Foto: Rafael Moreira/G1)

 

Fonte: G1||

Comentários
COMPATILHAR: