Lixo acumulado, sujeira em leito de córrego e esgoto a céu aberto são alguns dos motivos de reclamações dos moradores do bairro Engenho de Serra.
A redação do portal esteve no bairro, nesta terça-feira (24) e ouviu alguns populares que estão descontentes com a situação do córrego, situado ao lado da rua Teresa Michel de Oliveira. O acúmulo de mato e sujeira nas margens do córrego dificulta o escoamento das águas e neste período, em que as chuvas são mais abundantes, o problema se acentua.
No fim de semana, uma senhora que mora ao lado do córrego, diante das fortes chuvas que caíram nessa semana, ficou apreensiva, pois já foi vítima de enchentes e teve todos os seus pertences perdidos na enxurrada.
Segundo a moradora, ela já reclamou junto à Secretaria de Gestão Ambiental e a resposta foi de que cada morador é responsável pela limpeza de sua porta. ?Não cabe a mim e nem aos vizinhos fazer a limpeza do córrego, isso é função do município. Pago meus impostos para isso. Dias atrás, a secretaria fez a limpeza de parte do córrego e isso amenizou o problema. Acho que se não tivesse ocorrido a limpeza, provavelmente minha casa teria alagado. Agora, eles têm de voltar e terminar o serviço?, explicou a moradora.
Falta educação, falta fiscalização
Além do mato no leito do córrego, algumas pessoas fazem questão de piorar o problema. Um morador colocou a menos de dois metros da ?boca? de uma manilha, várias peças de ferro, como restos de bancos de carros, bagageiros e outros materiais.
Caso esse material caia no córrego, em dias de chuvas, irá prejudicar a vazão da água e consequentemente causar alagamento no local. Do outro lado da margem, as pessoas insistem em colocar lixo fora do dia e horário de coleta. Segundo as pessoas ouvidas, os moradores que insistem em agir dessa forma já foram avisados dos riscos.
Os problemas não terminam por aí
Durante o tempo em que a redação do jornal esteve no local, um pedreiro que trabalhava em uma construção na mesma rua, abordou a equipe para relatar que, há mais de 30 dias, solicitou ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), uma solução para um esgoto que corre ao lado da construção.

Além do esgoto correr a céu aberto na rua, é possível verificar que há larvas do mosquito da dengue na água que fica parada. ?Já fiz várias reclamações para o Saae e até agora nenhuma providência foi tomada, não sei a quem mais recorrer?, finalizou o pedreiro.

Comentários
COMPATILHAR: