O ex-prefeito de Belo Horizonte Célio de Castro morreu neste domingo (20), por volta de 10h30 da manhã. A informação foi confirmada pelo médico Jefferson Torres Moreira Penna, que o tratava. Castro tinha 76 anos.
O motivo da morte, segundo Penna, foi falência múltipla dos órgãos. Ele havia sido internado no hospital Mater Dei, na sexta-feira, por uma severa deterioração de seu quadro clínico.
Ele [Castro] teve um AVC [acidente vascular cerebral] há seis ou sete anos e sua condição clínica, desde então, vinha piorando muito, afirmou o médico.
O corpo de Castro será encaminhado à Prefeitura de Belo Horizonte às 17 h, onde será velado. O enterro acontecerá às 11h da segunda-feira (21), no Parque da Colina.
Célio de Castro era casado e deixa quatro filhos.
Em nota divulgada pela Presidência da República neste domingo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva diz ter recebido com tristeza a notícia da morte do ex-prefeito de Belo Horizonte Célio de Castro.
Trajetória
Célio de Castro foi eleito prefeito de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, por duas vezes, em 1997 e em 2001. Formado médico pela Universidade Federal de Minas Gerais em 1958, natural de Carmópolis de Minas, foi deputado federal por dois mandatos (1986-1990) e (1990 -1994), líder da bancada do Partido Socialista Brasileiro na Câmara Federal e Presidente do PSB em Minas Gerais. Em 1992, foi eleito Vice-Prefeito na chapa de Patrus Ananias de Sousa respondendo, no primeiro ano, também, pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social. Era filiado ao PT.
Teve participação intensa nas luta pelo fim da ditadura militar, a favor da anistia e pelas eleições diretas. Eleito Deputado Federal Constituinte, em 1986, atuou nas áreas dos Direitos Individuais, Direitos Sociais, dos Trabalhadores, da Saúde, Educação, Direitos dos Povos Indígenas, incluídas no texto da atual Constituição Federal.
Elegeu-se prefeito de Belo Horizonte pela primeira vez em 1997 com 809.992 votos ? 76,5% do total dos votos válidos, segundo dados da prefeitura. Coordenou a Frente Nacional de Prefeitos, até 2000. Reeleito prefeito de Belo Horizonte ? mandato 2001 a 2004, entrou para o Partido dos Trabalhadores em setembro de 2001. Desde novembro de 2001, estava licenciado para tratamento de saúde.
´Reverente admirador´
O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, tambem divulgou nota em que afirma ser reverente admirador do político. O falecimento do ex-prefeito e ex-deputado Célio de Castro deixa de luto não apenas Belo Horizonte e Minas Gerais, mas todo o país, disse.
Doutor Célio sempre destacou-se pelo profundo humanismo que marcou sua trajetória, seja como médico ou como homem público. Seu colega na Constituinte, tornei-me reverente admirador da forma como defendia seus princípios. Cortês e elegante no trato com seus pares e equilibrado nos debates que travava, doutor Célio defendia com vigor e intransigente rigor ético as teses que apoiava, afirmou, na nota.

Comentários