Convivendo com salários atrasados desde o ano passado, os jogadores do Cruzeiro ainda sentem o peso de não conseguirem fazer o time engrenar na Série B do Campeonato Brasileiro. A equipe ainda não emplacou duas vitórias seguidas na competição e pior: tropeçou novamente em casa, desta vez empatando por 3 a 3 com o Guarani, após estar duas vezes à frente no placar.

Após a partida, o técnico Mozart foi questionado se os salários atrasados estão influenciando no rendimento do time em campo. O treinador negou que o problema esteja causando os erros nas partidas e destacou o empenho dos jogadores.

“Na minha opinião não. Teria (influência) se eles não estivessem correndo, se dedicando, competindo. Desde a minha chegada aqui é totalmente ao contrário. É uma equipe que tem muito espírito, se doa o tempo todo. Prova disso foi o jogo de hoje que nós conseguimos reverter o resultado duas vezes”, frisou.

Desde outubro do ano passado, quando trouxe o técnico Luiz Felipe Scolari, que o Cruzeiro não consegue colocar a folha salarial em dia com o elenco profissional. A falta de receitas e a permanência na Série B em 2021 fizeram com que a situação piorasse nesta temporada. Até funcionários do clube que ganham pouco estão com os vencimentos atrasados. 

A diretoria já declarou que vem tentando minimizar o problema, mas ainda não encontrou uma solução.

Por conta da crise financeira, o clube celeste foi punido nesta quarta-feira pela Fifa com o transfer ban por não ter quitado uma dívida de 1,1 milhão de euros (cerca de R$ 6,4 milhões) com o Defensor-URU pela compra do meia Arrascaeta, em 2015. Desta forma, a Raposa não pode mais registrar novos jogadores.

Enquanto isso, após o segundo jogo sem vencer, o Cruzeiro caiu mais na tabela e agora ocupa a 14ª posição, com oito pontos, um a mais que o Remo, que abre a zona de rebaixamento para a Série C do Brasileirão.

Fonte: Itatiaia

Comentários
COMPATILHAR: