Em 2019, a advogada belo-horizontina Raissa Antunes, de 31 anos, se mudou para Boston, nos Estados Unidos. Sem família ou amigos na cidade, ela conheceu um homem pouco tempo depois e se apaixonou. O casal engatou um namoro que, rapidamente, se transformou em noivado e, enfim, em casamento.

Como Raissa não tinha como compartilhar o momento de felicidade com a família, ela contratou um fotógrafo e registrou vários momentos em bairros diferentes da cidade norte-americana. “Tinha tudo para dar certo, [me casar] sempre foi um sonho. Marcamos uma data, e deu tudo certinho”, lembra.

As fotos, ressalta a advogada, ficaram lindas, com direito a neve e cliques opulentes no City Hall de Boston. Todavia, três meses depois, sem quaisquer motivos aparentes, o homem pediu divórcio. “Continuo sem entender o porquê”, conta Raissa.

O fim do relacionamento, que ainda teve idas e vindas durante algum tempo, foi um choque para ela. “Perdi 16 quilos. Sofri demais, não tinha como entender. Procurei psicólogo, psiquiatra… só faltou procurar um exorcista. Achei que tinha outra pessoa no meio, ainda não tem explicação”, desabafa.

A advogada resolveu voltar para o Brasil depois do fim do casamento. “Eu o amava loucamente, não queria passar por isso sozinha. Não ia ficar lá sozinha. Nos divorciamos e, hoje, tem um ano que estou no Brasil. Muita coisa aconteceu, estou fazendo tratamento, hoje estou melhor, mas foi muito sofrido”, lembra.

O amor acabou, mas o álbum de fotos – lindíssimas – continuava a assombrar Raissa. O ex-marido aparecia ao lado dela em quase todas as imagens o que, afirma a mulher, a faz passar mal “só de lembrar, de raiva”. Na semana passada, porém, a advogada resolveu tentar aproveitar as fotografias. Desta vez, sem o homem.

Ela pediu a um amigo para que retirasse o ex das fotos, como uma maneira de se sentir melhor com o trauma causado pela situação toda. Três imagens foram restauradas e, Raissa, aparece radiante, sozinha, no City Hall de Boston, e próximo a um lago, com três cães.

“Foi uma forma de ‘zuar a situação’. Não posso fazer nada se o homem pediu divórcio, mas quis aproveitar as fotos. Agora consigo ver as coisas com mais leveza, apesar do sofrimento. Foi uma forma de me sentir melhor”, conclui.

Como em “Sentimentos do Mundo”, de Carlos Drummond de Andrade, a história do casal, hoje, é apenas uma fotografia na parede – e, para o alívio de Raissa, sem o “embuste”. 

Fonte: O Tempo

Comentários