Nova Serrana, que foi a primeira cidade do Centro-Oeste de Minas a registrar quatro mil casos prováveis de dengue este ano, teve mais 230 casos da doença registrados em uma semana, de acordo com o Boletim Epidemiológico divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) nessa segunda-feira (22).

Nos dados desta semana, Nova Serrana aparece com 4.308 casos prováveis de dengue, o maior número da região. A cidade está com a taxa de incidência considerada muito alta da doença: 4317,93.

A taxa considera não apenas o número absoluto de casos prováveis (entre suspeitos e sob investigação), mas também a proporcionalidade dos casos em relação ao tamanho da população de um determinado município.

Já Divinópolis, sede da Superintendência Regional de Saúde (SRS), responsável por 54 municípios no Centro-Oeste de Minas, e que também ultrapassou quatro mil casos da doença, nos dados desta segunda-feira registrou 4.075 casos, 63 casos a mais que o boletim divulgado na terça-feira passada (16). A cidade está com 1726,86 na taxa incidência, considerada muito alta.

Pará de Minas teve 85 casos descartados de dengue, segundo os boletins. No último levantamento, a cidade aparecia com 2.853 casos. No boletim desta semana, o município mineiro está com 2.768 casos de dengue.

Mortes por dengue

Este ano no Estado, foram confirmadas 117 mortes por dengue. Os casos foram em Araguari (um), Arcos (um), Belo Horizonte (17), Bertópolis (um), Betim (18), Campos Gerais (um), Contagem (quatro), Curvelo (um), Estrela do Sul (um), Frutal (dois), Guaranésia (um), Guarani (um), Ibiá (um), Ibirité (dois), Ituiutaba (um), Jaboticatubas (um), João Monlevade (dois), João Pinheiro (cinco), Juiz de Fora (dez), Lagoa da Prata (um), Martinho Campos (um), Monte Carmelo (um), Paracatu (um), Passos (dois), Patos de Minas (quatro), Patrocínio (dois), Pitangui (um), Pompéu (um), Ribeirão das Neves (dois), Rio Paranaíba (um), Sacramento (um), São Gonçalo do Pará (um), São Gotardo (dois), Sete Lagoas (um), Uberaba (dois), Uberlândia (16), Unaí, Varzelândia e Vazante (dois cada).

Outros 126 óbitos estão em investigação pela doença.

Chikungunya

Conforme os dados da SES-MG, as cidades do Centro-Oeste de Minas estão com 91 casos prováveis de chikungunya no ano. Em todo o Estado, foram 2.686 casos prováveis da doença registrados em 2019. Até o momento, foi confirmado um óbito por chikungunya do município de Patos de Minas.

Zika

Divinópolis continua como a cidade que mais registrou casos prováveis de zika na região este ano: sete. Já no estado, foram registrados 1.017 casos prováveis da doença até a data de atualização do boletim.

 

Fonte: G1||

Comentários