O número de trabalhadores que retornaram ao mercado por meio das Unidades de Atendimento ao Trabalhador do Sistema Nacional de Emprego de Minas Gerais (Sine-MG), em todo Estado, no mês de abril, foi de 11. 438 mil. No comparativo anual foi registrada alta de 17,9% no número de trabalhadores colocados.
Em abril de 2010 o numero de colocados foi de 9.705 trabalhadores. Já no comparativo mensal, o crescimento foi de 17,5 % em relação a março deste ano, que foi 9.731. Os dados fazem parte do balanço da intermediação de mão de obra das unidades de do Sine-MG.
O número de vagas e encaminhados também registrou elevação quando comparados com o mesmo período do ano passado. O número de vagas passou de 16.180 em 2010, para 22.178 neste ano, um salto de 37,1%. Já o índice de encaminhados registrou crescimento de 23,5%, com 62.656 encaminhamentos em abril de 2011, contra 50.728 no mesmo período do ano passado.
Uma leve queda foi percebida no número de trabalhadores que procuraram as unidades do Sine-MG. Em abril de 2011, o número foi de 46.745, enquanto que em abril de 2010 foram 49.977, queda de 6,5%.
Segundo o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta, os bons números refletem o esforço e trabalho do governo Antonio Anastasia. ?Oferecer um trabalho digno para o cidadão mineiro é a nossa obsessão. Vendo estes números, temos ainda mais certeza que estamos no caminho certo e que temos que investir ainda mais em qualificação profissional. Assim Minas Gerais vai conseguir aproveitar melhor as vagas que as unidades do Sine conseguem captar e melhorar o seu aproveitamento, tornando Minas o Estado do emprego digno?, ressalta.
Seguro-desemprego
O número de pedidos do seguro-desemprego, no mês de abril, apresentou queda de 6,4%. Em abril de 2011, o número de desempregados que solicitaram o benefício foi de 50.856, enquanto no mês anterior foram 54.352. Na variação anual houve um aumento de 5,8%.
Vagas não preenchidas
No mês de abril as vagas com menor procura foram: colhedor de açúcar, com 84 oportunidades oferecidas, mas com nenhuma procura; pedreiro, com apenas 20 vagas preenchidas das 100 ofertadas. Para ocupação de atendente de telemarketing também não houve procura para as 64 oportunidades no mercado.

Comentários