Um homem resolveu pagar o último mês de pensão alimentícia da filha de uma maneira inusitada. Ele jogou 80 mil moedas de um centavo no gramado da casa em que a jovem mora com a mãe, no estado norte-americano da Virgínia. 

Os 800 dólares, cerca de R$ 4.050, foram entregues no dia 21 de maio, quando Avery Sanford completou 18 anos, segundo o canal de televisão WTVR, de Richmond.

A garota está no último ano do ensino médio e conta que não presenciou a cena, já que estava na escola quando o pai tomou a atitude, que ela considera como desrespeitosa.

“Ele havia alugado um trailer. Ele estacionou na frente da casa e ligou o trailer, jogando todos os centavos na grama”, descreveu Avery ao canal de notícias. 

De acordo com a estudante, ela e o pai não se falam há anos. “Não é apenas minha mãe que ele está tentando envergonhar. Também sou eu e minha irmã e é perturbador que ele não tenha considerado isso antes de fazer isso (jogar as moedas no quintal)”.

Embora não tenha visto o pai arremessar o dinheiro no quintal, Avery afirma que a mãe estava por perto no momento. Além disso, as câmeras de segurança flagraram a cena.

“Minha mãe apareceu enquanto isso estava acontecendo e ela não o reconheceu a princípio e perguntou: ‘O que você está jogando no meu gramado?’ E ele respondeu: ‘É o seu último pagamento de pensão alimentícia’, e foi quando ela percebeu quem era”, contou a jovem.

Solidariedade

Apesar da situação, Avery resolveu transformar o momento negativo em solidariedade. Ela e a mãe doaram o dinheiro da pensão para um abrigo que acolhe vítimas de violência doméstica, sexual ou do tráfico de pessoas.

“Só de eu me virar e doar esse dinheiro para mães e crianças necessitadas, já sinto que isso realmente torna esta situação positiva”.

A mãe de Avery também foi até a Polícia do condado de Henrico para registar o caso. O tenente Matthew Pecka disse que documentou o incidente, “no entanto, nenhumaacusaçãofoi registrada”.

O pai da adolescente, que não teve a identidade divulgada, alegou ao canal de notícias que suas atitudes “foram o resultado de 18 anos de frustração acumulada” e que “a última coisa que ele queria fazer era colocar uma barreira entre ele e sua filha”.

Já Avery afirmou que não tem interesse em desenvolver um relacionamento com o pai.

“É muito doloroso e prejudicial para seus filhos quando você faz coisas assim. Não importa se eles são jovens ou adultos, as ações de seus pais sempre terão algum efeito sobre você”, declarou.

Fonte: Estado de Minas

COMPATILHAR: