Desta vez, o pão francês será o vilão no bolso do brasileiro. O preço de produtos derivados do trigo está em alta, principalmente em função da quebra da safra na Rússia, castigada pela seca. O aumento no valor do tradicional do pãozinho vai chegar aos consumidores na próxima semana. De acordo com o presidente da Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amipão), Luiz Carlos Carneiro, a farinha de trigo já está 20% mais cara e, na semana que vem, as padarias vão reajustar o preço dos pães em até 10%.
O presidente da Amipão alerta que o consumidor não deve se preocupar, pois deve haver uma estabilização dos preços no fim do ano. O preço da farinha de trigo aumentou cerca de 30% em duas semanas, por isso o reajuste vai recair sobre o pão francês.
Embora ainda não haja números exatos das perdas na Europa e na Ásia, há especulações de que o preço do trigo aumente mais em até 20%. Segundo Pierre Vilela, coordenador da assessoria técnica da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), a seca que afetou toda a Europa e a Ásia não vai gerar grandes influencias no país a longo prazo. ?A colheita será menor e o levantamento exato da perda de produtividade deve ser confirmado em outubro. Mas, ainda assim, a safra do trigo será maior que a do ano passado e os estoques se mantêm elevados no Brasil, fatos que dão segurança ao país a médio prazo.?

Flutuação
Vilela lembra que a safra brasileira está alta e que, na Argentina, maior fornecedor do Brasil, a situação também é favorável, uma vez que não houve problemas climáticos. ?O Brasil vai demandar pouca importação de trigo dos mercados distantes, que foram os afetados. O preço brasileiro já foi influenciado pelo mercado internacional, que passa por momentos de flutuação do preço do trigo, mas acredito que, no fim do ano, o preço já esteja normalizado.?
O coordenador da assessoria técnica da Faemg salienta que o momento é de especulação no mercado internacional. Ele diz ainda que a indústria brasileira e o varejo já estão repassando o aumento do trigo para os produtos derivados. No entanto, segundo ele, a safra de trigo deste ano será bem superior à anterior. Com isso, os grandes estoques devem fazer os preços cair, levando a normalidade ao mercado.

Comentários