Mais uma vez, Minas Gerais demonstra sua solidariedade por meio da campanha Papai Noel dos Correios. A mobilização dos mineiros em todas as regiões do Estado foi responsável pelo atendimento a quase 150 mil cartinhas, das 165 mil enviadas ao Papai Noel no Natal de 2009.
O número de cartas apadrinhadas ultrapassou as expectativas da empresa, que era, inicialmente, de atender a 130 mil pedidos. A participação intensa da sociedade contribuiu para que a campanha mantivesse o elevado índice de apadrinhamento em Minas acima de 90%.
Segundo informações dos Correios, em 2009, várias regiões adotaram 100% das cartinhas, como o Triângulo Mineiro, o Vale do Jequitinhonha-Mucuri, o Norte e o Leste de Minas. Belo Horizonte também merece destaque, já que é responsável pelo maior volume de cartas apadrinhadas em todo o Estado, mais de 55 mil (92% das cartas cadastradas na região).
Além das milhares de pessoas que vão até os Correios na época de Natal em busca das cartinhas para adoção, é fundamental o apoio de empresas para o sucesso da campanha. Instituições como a Fundação da Associação Comercial de Minas Gerais, o Tribunal de Justiça do Estado, Cemig e outras , por exemplo, foram responsáveis, juntas, pelo apadrinhamento de cerca de 21 mil cartinhas. A Emater também colaborou com a disponibilização de empregados voluntários na leitura de cartas.
A campanha Papai Noel dos Correios nasceu em Minas, em 1989, e busca proporcionar às milhares de crianças carentes que escrevem cartas para o bom velhinho a realização dos pedidos de Natal e aos cidadãos brasileiros o sonho de ser o Papai Noel delas, nem que seja por um dia. Atualmente, integra as ações de responsabilidade social da empresa e o desempenho bem-sucedido que vem alcançando nos últimos anos mostra que a iniciativa não pertence mais somente à ECT. Os Correios desempenham o papel de operador logístico da campanha, que tem nas empresas e na sociedade a principal força de sua sustentação.

Comentários