A Pesquisa da Percepção de Medo no Estado de Minas Gerais revela que os mineiros estão sentindo menos medo e confiam mais nas instituições policiais. O estudo mostra que a sensação de medo da população em Minas Gerais caiu de 53,6% em 2008, para 51,2% em 2009, com redução de 4,8%. Já o percentual de confiança na atuação das polícias é de 67,7% em Belo Horizonte, 60,7% na Região Metropolitana da capital, 70,8% nas cidades polo do interior e 67,9% em cidades com até 10 mil habitantes. Os levantamentos foram realizados pelo Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública da Universidade Federal de Minas Gerais (Crisp-UFMG) a pedido da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).
Em Belo Horizonte, a redução no Indicador Geral de Medo foi de 17% (passando de 54% em 2008 para 46,2% em 2009) e na Região Metropolitana de BH de 12,5% (60,3% em 2008 para 53,6% em 2009). Em cidades polo das macrorregiões do Estado (Governador Valadares, Juiz de Fora, Montes Claros, Patos de Minas, Poços de Caldas, Salinas e Uberlândia), a redução percentual foi de 10,2%. Apenas nas cidades com menos de 10 mil habitantes houve um aumento nesse indicador, da ordem de 14,3%.
O percentual da população de Minas Gerais que sente pouco medo aumentou em 2,4%, passando de 28% em 2008 para 30,4% em 2009. O percentual de pessoas que não sentem medo nenhum se manteve estável, representando 18,4% dos entrevistados.
O indicador geral de crime é obtido com base no índice de sensação de medo de nove tipos de crimes ou eventos específicos: medo de ter a residência invadida / arrombada; medo de ter objetos pessoais de valor tomados à força por outras pessoas – roubo ou assalto; medo de ter seu carro ou moto roubado ou furtado; medo de se envolver em brigas / agressões físicas com outras pessoas; medo de morrer assassinado; medo de sequestro ou sequestro relâmpago; medo de ser vítima de fraude e perder quantia significativa de dinheiro e medo de receber uma ligação de bandidos exigindo dinheiro.
Confiança na polícia
Outra dimensão avaliada pela pesquisa é o nível de confiança que a população tem na atuação das instituições públicas diretamente relacionadas à questão da segurança. No que se referem à atuação das polícias, os dados coletados em 2009 indicam que, e em Belo Horizonte, houve não apenas um aumento de confiança na atuação das corporações, mas também uma melhoria na avaliação que se faz sobre sua eficiência.

Em 2008, o percentual de entrevistados que confiavam muito na atuação das polícias era de 63%. No levantamento de 2009, o percentual subiu para 67,7%. Houve também um aumento percentual entre aqueles que responderam que as polícias são muito eficientes na resolução dos problemas da cidade: 62,7% em 2008, para 68,9% em 2009. Resultados bastante semelhantes aos da capital foram observados nas cidades polo das macrorregiões, onde 70,8% da população confia na polícia (em 2008, o percentual era de 63,7%) e 71,7% a considera muito eficiente (aumento de 5,5% em relação a 2008).
Na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) e em cidades do interior os indicadores de confiança permaneceram estáveis entre 2008 e 2009, observando-se uma leve redução das avaliações positivas por parte dos entrevistados sobre a eficiência das polícias. Na RMBH, os indicadores de confiança passaram de 58,2% para 58% e os de eficiência baixaram de 62,8% para 60,7%. Já nas cidades do interior, o índice de confiabilidade manteve-se estável em 67,9% e o percentual das pessoas que acham a polícia muito eficiente na resolução de problemas da cidade passou de 68,8% para 66,9%.
Os números têm como base entrevistas realizadas com 5.067 habitantes do território mineiro, na faixa etária de 15 anos para cima. A pesquisa da Percepção de Medo no Estado de Minas Gerais é realizada anualmente pelo Crisp/UFMG. Os mesmos pesquisados em 2008 foram entrevistados para a pesquisa de 2009.

Comentários
COMPATILHAR: