O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou na segunda-feira (5) o Atlas da Violência – Retrato dos Municípios Brasileiros 2019. Conforme matéria do portal G1, Divinópolis aparece na 13ª posição entre as cidades mineiras com mais homicídios registrados. Dados são referentes a 2017.

Elaborado em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o Atlas identificou uma heterogeneidade na prevalência da violência letal nos municípios e revela que há diferenças enormes entre as condições de desenvolvimento humano nos municípios mais e menos violentos.

Divinópolis é a única cidade do Centro-Oeste de Minas que aparece no estudo, que considera o número de óbitos por agressão, mais o número de óbitos ocasionados por intervenção legal, mais o número de homicídios ocultos. Conforme o Atlas, em 2017 a cidade, com então 234.937 mil habitantes, registrou 59 homicídios, sendo três considerados ocultos, uma taxa estimada de 26,4 mortes para cada 100 mil habitantes.

De acordo com o estudo, alguns poucos homicídios são ocultados por classificação incorreta, o que altera a taxa de homicídio local, e são denominados como Mortes Violentas com Causa Indeterminada (MVCIs). São óbitos que seriam homicídios ou suicídios, ou mortes ocasionadas por acidentes, mas para os quais as autoridades e o Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde (MS), falharam em estabelecer a causa correta.

Segundo os dados oficiais do SIM/MS, em 2017 houve 65.602 homicídios no Brasil, o que equivale a uma taxa de aproximadamente 31,6 mortes para cada cem mil habitantes. Em Minas Gerais, foram 4.299 homicídios registrados em 2017.

O estudo sugere uma solução que conjugaria três pilares fundamentais. Em primeiro lugar, o planejamento de ações intersetoriais, voltadas para a prevenção social e para o desenvolvimento infanto-juvenil, em famílias de situação de vulnerabilidade.

Em segundo lugar, a qualificação do trabalho policial, com mais inteligência e investigação efetiva. Por fim, o reordenamento da política criminal e o saneamento do sistema de execução penal, de modo a garantir o controle dos cárceres pelo Estado.

O Ipea

Fundação pública vinculada ao Ministério da Economia, o Ipea fornece suporte técnico e institucional às ações governamentais – possibilitando a formulação de inúmeras políticas públicas e programas de desenvolvimento brasileiros – e disponibiliza, para a sociedade, pesquisas e estudos realizados por seus técnicos.

 

 

Fonte: G1 ||

Comentários