A Polícia Federal fez, nesta sexta-feira (12), a operação Probitas (proibidades, em latim) com o objetivo de apurar crimes de corrupção praticados por um servidor da Receita Federal. 

A investigação teve início em março deste ano, após o recebimento de uma denúncia por parte de um empresário que informou estar sendo extorquido por um auditor-fiscal.

De acordo com as investigações, o colaborador teria pedido propina de aproximadamente R$ 23 milhões, com a promessa de deixar de autuar o estabelecimento comercial e encerrar a fiscalização tributária.

Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão e um de prisão temporária nas cidades de São Paulo e São Sebastião, no litoral do estado. O mandado de prisão do auditor-fiscal foi realizado na cidade litorânea.

Os investigados poderão responder pelos crimes de corrupção passiva tributária, associação criminosa ou organização criminosa, dependendo da evolução das investigações.

Matéria do R7

Comentários
COMPATILHAR: