Na manhã de ontem, terça-feira 06/11, por volta das 10h30, a Polícia Militar foi acionada a comparecer a rua Expedicionário José Alvarenga, onde uma moradora relatou que um cão da raça Pit Bull estava solto e ameaçando atacar as pessoas que passavam pelo local, o que é bem característico da raça.
De acordo com informações fornecidas pelo Segundo Cabo Carlos Alberto, quando o mesmo chegou na via, muitas pessoas estavam apavoradas e gritando socorro pois o cão já havia tentado morder 2 crianças as quais conseguiram correr do animal e entrar na garagem de uma residência fechando rapidamente o portão. Em seguida o cão seguiu sentido Tiro de Guerra e avistou um carroceiro, o animal descontrolado avançou no cavalo mordendo seu peito, pescoço e agarrando o focinho.
O Policial pediu para que todas as pessoas se afastassem e que fossem para trás do mesmo. Tendo em vista que o cachorro não soltaria o focinho do cavalo o policial efetuou um disparo contra o peito do Pit Bull, que ainda ferido e ainda mais enfurecido partiu para cima do policial na tentativa de atacá-lo, sendo necessário haver um segundo disparo, este na cabeça do animal o matando de imediato.
A atitude do Militar envolvido neste B.O. se deu devido a agressividade do animal que colocou em risco a integridade física de crianças e animais que passavam pelo local.
O dono do cachorro não foi localizado.
Foi registrado o B.O. nº 11837
Segundo portaria do Governo de Minas Gerais, publicada no dia 4 de setembro, todos os cães de raças consideradas perigosas, devem ser cadastrados. Entre as raças estão os pit bull e rottweiler.
O proprietário que não fizer o cadastro terá que pagar uma multa, que varia de R$ 850 a R$ 1.700. Este valor pode ser dobrado se houver lesão corporal em uma pessoa atacada pelo animal e triplicado, se houver lesão corporal de natureza grave.
Confira a entrevista com o Cabo Carlos Alberto.

Comentários