A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) indiciou uma jovem, de 24 anos, pelos crimes de falsidade ideológica, ameaça e denunciação caluniosa. Após investigação, ela confessou ter simulado ser vítima de ameaças por parte do ex-companheiro, com quem tem um filho, e detalhou como agiu.

Na quinta-feira (17), a PCMG realizou buscas na casa da suspeita, na zona rural de Carmo do Cajuru, região Centro-Oeste do estado, sendo apreendido um celular.

As investigações iniciaram em setembro deste ano, após a PCMG ter sido procurada pela investigada. Ela alegava ter sofrido várias ameaças de morte do ex-companheiro por meio de um aplicativo de mensagens. Em uma das supostas conversas, a ameaça teria sido estendida ao filho deles, um bebê de quatro meses, com o compartilhamento de imagens de caixões para criança, armas e munições.

De acordo com o delegado responsável pelo inquérito, Weslley de Castro, no curso das investigações ficou constatado tratar-se de uma fraude, com o objetivo de prejudicar o pai da criança e imputá-lo o crime. “A investigada chegou a comprar um chip virgem e o cadastrou em nome do ex-companheiro, quando então passou a mandar mensagens para a linha telefônica dela própria criando as falsas ameaças”, conta. Não satisfeita, a investigada ainda teria ameaçado a atual companheira do ex, que está grávida, bem como o filho que o casal espera.

Fonte: Polícia Civil

Comentários
COMPATILHAR: