A Polícia Civil anunciou nesta segunda-feira (25) que vai fazer buscas na mata do bairro Planalto, na região Norte de Belo Horizonte, onde estariam jogados os restos mortais da ex-namorada do goleiro Bruno Fernandes, Eliza Samudio. A denuncia sobre onde estaria o corpo, feita através de uma carta anônima, chegou às mãos da mãe da jovem, Sonia de Fátima Moura, na última quarta-feira (20). Dois dias depois, a Polícia Civil recebeu cópia do texto.
Escrita por uma mulher que não se identificou, a carta conta em detalhes qual seria a localização dos restos mortais da ex-companheira do jogador. Para a polícia, Eliza Samudio foi assassinada a mando do goleiro, em junho de 2010. O corpo, no entanto, nunca foi encontrado. No texto, a mulher disse ter sonhado com tudo que descreveu.
?Em 2011, recebemos várias denúncias assim. Essa é a primeira deste ano. Não podemos descartar nada e, por isso, vamos checar todas as informações?, prometeu a delegada Alessandra Wilke, da Divisão de Homicídios de Venda Nova. Segundo a delegada, possivelmente ainda hoje os policiais entrarão na mata. Ela não especificou o horário das buscas.
Alessandra Wilke é a mesma delegada que comandou as investigações sobre o crime contra Eliza Samudio, à época. ?O que está claro até agora é que o Bola (Marcos Aparecido dos Santos) matou e desapareceu com o corpo, provavelmente em um local ermo, como é o caso da mata do Planalto?.
Segundo ela, os policiais irão fazer levantamentos na região da mata e nos arredores do local. Moradores da região deverão ser ouvidos pelos investigadores. As informações que constam na correspondência coincidem com as características da região, onde há um poço artesiano e um convento, ao lado do qual existe uma passagem clandestina que dá acesso à mata, também descrita na carta.
A delegada informou ainda que está tentando identificar e localizar a autora da carta para que ela também possa ser ouvida oficialmente.
O advogado da mãe de Eliza, José Arteiro, disse que Sonia Moura está ansiosa pelo resultado da investigação na mata. ?Ela (mãe de Eliza) quer ter o direito de enterrar os restos mortais da filha?.
Depoimento de ?amante? descartado
A Polícia Civil descartou nesta segunda-feira (25) as informações dadas por uma mulher que disse ser também amante do goleiro Bruno e que teria presenciado uma discussão dele com Eliza Samudio, no sítio do atleta, em Esmeraldas.
Segundo a delegada Alessandra Wilke, a mulher contou, à época do crime, que ganhou um par de brincos que pertenceriam a Eliza, mas, ao ser ouvida formalmente, não apresentou dados consistentes. Segundo a policial, tudo indica que a mulher queria se promover.

Comentários
COMPATILHAR: