No último dia de 2020, Lagoa da Prata saiu do programa estadual “Minas Consciente”. O decreto oficializando esta ação foi publicado nesta quinta-feira (31), no site da Prefeitura e assinado pelo então prefeito Paulo César Teodoro.

A decisão ocorreu um dia após a avaliação do Comitê Estadual ter definido que a macrorregião, na qual Lagoa da Prata faz parte, iria regredir para a Onda Vermelha.

O decreto também diz que “fica determinado a observância das medidas de proteção e enfrentamento do novo coronavírus (SARGS-Cov-2) causador da Covid-19, bem como regras de funcionamento controlado das atividades.”

Ainda nesta quinta, o novo prefeito Di Gianne Antunes (Cidadania), em coletiva de imprensa online, se pronunciou sobre a saída do município e disse que, independente da decisão tomada pela gestão anterior, Lagoa da Prata seguirá restrições semelhantes às impostas na Onda Vermelha.

“Sair do protocolo do Minas Consciente é uma coisa, agora sair da Onda Vermelha é outra e no momento, nós não temos condições de sair dela. Fizemos uma reunião e ouvimos diversos setores, com isso, provavelmente, na segunda-feira (4) vamos fazer um novo decreto com as medidas que vamos adotar para as próximas semanas”, afirma o prefeito.

https://efaf50224e88077822cfb13399cc8a13.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

A cidade encerrou o ano com 1.373 casos da Covid-19 e 24 mortes pela doença, segundo último boletim divulgado pela Prefeitura, nesta quinta.

Coletiva

Durante a coletiva de imprensa, a escolhida para chefiar a Secretaria Municipal de Saúde, Margarete Borges, explicou algumas ações que vão ser adotadas nesta nova gestão.

“A conclusão que nós chegamos foi criar regras mais restritivas, mais rigorosas e fazer uma fiscalização mais punitiva. Por que até hoje fizemos uma fiscalização, a gestão anterior, mais educativa. Pretendemos dar oportunidade para que o comerciante se adeque às regras, para que a gente não precise fechar as lojas, mas se for preciso vamos fazer. Precisamos conter o avanço da doença”, afirma.

Margaret também destacou os critérios técnicos que são utilizados para definir as Ondas do “Minas Consciente” e explicou qual será a relação destes critérios com os novos rumos tomados pelo município.

“Onda Vermelha é estabelecida por indicadores, não é estabelecida pelo Minas Consciente, porque ele é uma sugestão, um plano de retomada de comércio, da economia e fazer parte do programa, ou não, é uma opção de cada prefeito. A cidade saiu do programa, mas pode retornar a hora que quiser. Contudo, temos que continuar a análise da nossa macroregião”, disse.

Também durante a coletiva, a nova secretária de saúde disse que a população está deixando de lado os cuidados básicos com a Covid, como por exemplo o uso de máscaras e álcool gel. Tais cuidados deverão entrar no novo decreto, como medidas obrigatórias.

Também participaram da coletiva representantes da Polícia Militar (PM), o vice-prefeito, o representante da Associação Comercial da cidade e alguns assessores que vão participar da nova gestão da Prefeitura.

Fonte: G1

Comentários
COMPATILHAR: