O professor Francimário Vito dos Santos publicou, pela Editora Cirkula de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, o livro “O Ofício das Benzedeiras: um estudo sobre práticas terapêuticas e a comunhão de crenças em Cruzeta – RN”. A obra foi incluída em uma coleção voltada à formação de professores de Sociologia, que está sendo produzida como material instrucional do curso de pós-graduação Lato Sensu O Ensino da Sociologia para professores do ensino médio.

O curso foi planejado no âmbito do Laboratório Virtual e Interativo de Ensino em Ciências Sociais (LAVIECS). É uma promoção conjunta do Centro de Formação de Professores (FORPROF), do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) e do Departamento de Sociologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e da Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação (MEC).

A obra propõe-se a pensar o ofício das benzedeiras a partir da realidade do município de Cruzeta, Rio Grande do Norte, pontuando, o ponto de vista da antropologia, o modo como essa prática se insere no cotidiano das classes populares e enquanto prática terapêutica alternativa se relaciona com a medicina tradicional.

De acordo com os editores Daniel Gustavo Mocelin, Mauro Meirelles e Leandro Raizer, o livro se constitui em rica contribuição para a formação de professores de Sociologia e permitirá que esses identifiquem alguns caminhos para enriquecer a sua prática de ensino a partir do estudo aprofundado de uma das práticas religiosas mais comuns no interior do Brasil que é “o benzimento” ou “benzeção”.

Francimário avaliou com entusiasmo e otimismo a publicação, que só chega ao grande público dez anos após a defesa da dissertação no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que contou com a orientação do Dr. Carlos Guilherme Octaviano do Valle.

“O que me deixa mais satisfeito é saber que o livro atingirá um público mais abrangente e diverso, que ultrapassará o público acadêmico. Outro aspecto importante foi a inclusão da obra no projeto institucional da UFRGS, cuja finalidade é difundir temas relacionados às culturais tradicionais na formação de professores, portanto, no contexto escolar. E, também, porque se trata de uma publicação cuja distribuição é destinada a bibliotecas públicas, o que vai ao encontro da premissa do ofício das rezadeiras, que é a realização de curas sem cobrar pelos serviços”, afirmou.

Os interessados em conhecer o livro podem recorrer à “Biblioteca Ângela Vaz Leão”, do Centro Universitário de Formiga. A obra também foi doada para todas as universidades públicas do País e para os professores de Sociologia que têm como enfoque as práticas populares, sobretudo que tenham relações com a cultura afro-brasileira.

Trajetória

Francimário cursa Doutorado em Ciências Sociais na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). É mestre em Antropologia Social e Bacharel em Ciências Sociais pela UFRN. Também é especialista em Patrimônio Cultural pelo Programa de Especialização em Patrimônio (PEP – IPHAN), dentre outras atividades e experiências.

No Unifor-MG, ele leciona Sociologia nos cursos de Arquitetura e Urbanismo e Engenharia Civil. Na graduação em Enfermagem, ministra aulas de Antropologia Sociológica Filosófica, e de Sociologia e Antropologia no Curso de Fisioterapia. Também é responsável pela disciplina Sociologia Rural direcionada aos alunos de Medicina Veterinária.

(Foto: Divulgação/Unifor-MG)

 

Fonte: Unifor-MG||

Comentários
COMPATILHAR: