Nesta semana a redação do jornal Nova Imprensa e do portal Últimas Notícias recebeu uma nota do presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Serviços de Saúde de Formiga (STSSF), Paulo José de Oliveira, ressaltando que o provedor da Santa Casa de Caridade de Formiga, Geraldo Magela do Couto, teria retirado direitos dos funcionários da entidade.
Procurado pela redação, o provedor do hospital explicou que a Santa Casa e o Sindicato tinham um acordo coletivo e que foi extinto. ?A partir dessa extinção, todos os benefícios que a Santa Casa repassava aos funcionários, não poderiam ser repassados em forma de benefício. Se a Santa Casa pagasse algum desses benefícios, seria incorporado ao salário e, ao ser incorporado ao salário, ela teria todos esses benéficos, com tributos, impostos […]?.
Geraldo Couto disse que com isso, a Santa Casa optou em não repassar aos funcionários, até que tivesse um instrumento legal para passar benefícios e não salário. ?Estamos recebendo agora, informalmente, que o Ministério do Trabalho decretou uma liminar que a Santa Casa deve continuar mantendo esse direito. Agora, eu tenho um instrumento jurídico e nós vamos manter os benefícios, O interesse da Santa Casa não é tirar benefícios, é se respaldar legalmente daquilo que poderia depois se transformar em salário. Nós damos aqui, por exemplo, para os funcionários, o apartamento para eles internarem quando estão doentes, não cobramos deles. Isso poderia ser entendido como salário, porque estava no acordo coletivo e não está mais, então, passaria a ser incorporado ao salário. Isso poderia em uma reclamatória futura trazer problemas para a Santa Casa?, explicou o médico.
O provedor disse que o motivo foi só esse, ?porque nós não tínhamos instrumento legal para manter os benefícios. Vamos manter sem problema nenhum, nós não estamos tirando, esse não é nosso objetivo de tirar benéficos e tão pouco brigar com empregado. Não é esse o nosso objetivo e sim fazer que se cumpra as regras e a lei, isso sim é que nós vamos fazer, Não queremos prejudicar funcionário hora nenhuma. É uma distorção quando se fala nisso, nós estamos aqui buscando sobre todos os aspectos, valorizar o trabalho do funcionário. Nós então, precisamos de gente, porque gente é que presta serviço, nós precisamos sim de legalidade. Agora, a Santa casa não vai mais ser uma empresa que descumpre regra e normas, isso ela não vai fazer?.
?Com essa liminar que foi dada, ótimo, vai ser tudo repassado, está tudo provisionado pra eles, vai ser refeito sem problema nenhum. As informações é que foram distorcidas?, completou o provedor do hospital.

Comentários
COMPATILHAR: