Pesquisa DataFolha publicada neste domingo (16) revela que, se a eleição para a Presidência fosse hoje, o PT teria dois nomes com boas chances de vencer no primeiro turno. Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva têm, agora, mais intenções de voto do que a soma de todos os possíveis rivais.
Foram traçados quatro cenários, e as intenções de Dilma variam de 53% a 57%. Já o ex-presidente soma 56% no único quadro que integra na simulação da disputa pelo Planalto.
No primeiro cenário, a presidente obtém seu maior índice, enfrentando Marina Silva (sem partido) e Aécio Neves (PSDB-MG). Ela é a preferida de 57% contra 18% da ex-ministra do Meio Ambiente e 14% do senador mineiro.
A Folha de S.Paulo classifica como surpresa a resistência de Marina, que, na corrida presidencial de 2010 obteve 19,3% dos votos válidos e mantém praticamente a mesma preferência.
Ainda assim, Marina aparece como segunda colocada na disputa para 2014, com percentuais variando de 13% a 18%. Manteve seu patrimônio eleitoral sem ter se dedicado a atividades partidárias.
No segundo quadro, é incluído o nome de Eduardo Campos (PSB). O governador de Pernambuco, aliado do governo petista, atinge 4%. Dilma cai para 54%, enquanto o tucano perde dois pontos percentuais. Marina mantém o mesmo patamar.
A grande novidade da pesquisa DataFolha é o nome do ministro do Supremo Tribunal Federal e relator do processo do mensalão, Joaquim Barbosa, que não é filiado a partido. Ele aparece com 9% na simulação contra Dilma (53%), Marina (16%) e Aécio (11%).
No único cenário de que participa, o ex-presidente Lula lidera com 56%. Marina Silva mantém a segunda colocação no levantamento, com a preferência de 13% dos entrevistados. Joaquim Barbosa, com 10%, aparece na frente do ex-governador de Minas, com 9%. Entretanto, como a margem de erro é de dois pontos percentuais, há empate técnico.
Embora os índices de Dilma e de Lula sejam equivalentes na pesquisa estimulada (quando a lista de nomes é apresentada ao entrevistado), a situação muda no levantamento espontâneo. Nessa modalidade, Dilma recebe 26%.
Com menos da metade, mas isolado em segundo, vem Lula, com 12%. Há também 1% de citações para PT ou vai votar no PT. Portanto, as preferências espontâneas pelo ex-presidente, pela atual ou pelo partido, somam 39%.
A mais de um ano e meio da disputa presidencial, os candidatos de oposição têm menções modestas baseando-se apenas na memória do eleitor. O senador Aécio Neves registra 3%. Os também tucanos José Serra, ex-governador de São Paulo, e Geraldo Alckmin, atual governador, têm 2% e 1%, respectivamente. Ainda na modalidade espontânea, Marina Silva aparece com 1%. Outros 46% não responderam.
Análise
A simulação eleitoral confirma a popularidade do governo Dilma Rousseff. Na semana passada, tanto o DataFolha quanto a pesquisa CNI/Ibope apontaram em 62% os brasileiros que classificam o trabalho como ótimo ou bom. Em ambos os casos, o patamar é o mesmo das rodadas anteriores.
Segundo o Ibope, a aprovação pessoal da presidente atingiu a marca de 78%.

Comentários