Quatro homens foram presos suspeitos de abusar sexualmente de crianças em Belo Horizonte. Os homens têm idades que variam entre 33 e 75 anos. Segundo a Polícia Civil, todos possuíam algum grau de parentesco ou proximidade com as vítimas. Entre os presos está um homem que abusava sexualmente das netas de 3 e 4 anos. Um quinto suspeito ainda está sendo procurado. As prisões ocorreram na quarta-feira (7). No entanto, o resultado da investigação foi apresentado nessa quinta-feira (8) pela Polícia Civil.  

A primeira prisão aconteceu no bairro Alto Vera Cruz, na região Leste de BH. Um homem de 40 anos foi detido por estupro e maus tratos cometidos contra a filha e os dois enteados. A denúncia foi realizada em 2015 pela mãe das crianças. Para a mulher as crianças contaram que o homem dispensava os trabalhos da babá, quando ele estava sozinho com elas os abusos começavam. “Foi constatado que ele violentou a filha de 7 anos e ainda praticava maus tratos contra a criança. Os enteados de 10 anos, que eram gêmeos foram confirmados maus tratos, ele realizava xingamentos homofóbicos contra uma das crianças”, detalhou o delegado Daniel Couto e Gama.  

O segundo homem preso tem 67 anos e era vizinho da vítima de 9 anos. A menina contou para a mãe que estava brincando de amarelinha na porta de casa quando o vizinho chamou a criança para ir até a casa dele. No local, o homem tentou violentar a menina. A denúncia foi feita em 2015. O abuso aconteceu no Barreiro, em BH. Entretanto, o homem foi preso na cidade de São Gonçalo do Pará, no Centro – Oeste de Minas. ” Para realizarmos esta prisão contamos com a ajuda da Polícia Civil de Pará de Minas”, salientou Gama.  

A terceira prisão ocorreu no bairro São Salvador, na região Noroeste de BH. Um avô de 75 anos abusava das netas de 3 e 4 anos. Segundo a polícia, a avó das crianças sabia do crime, mas não denunciou por medo. Somente em 2019 os abusos vieram à tona, em que as próprias crianças contaram para os pais que eram violentados há cinco anos pelo avô paterno. ” Depois que as crianças cresceram, elas perceberam que sofriam violência sexual e revelaram para a família materna, que levou o caso até a polícia”, explicou o delegado Diego Lopes.  

 O quarto homem de 33 anos foi preso no bairro Serra, na região Centro – Sul da capital. Ele abusava sexualmente da filha de 14 anos. A mãe da criança descobriu os abusos quando fiscalizou o telefone da menina e encontrou mensagens com teor sexual que o pai enviava para a criança. Para a polícia a mulher contou que a própria criança procurou o pai quando ela tinha 10 anos, quando os dois se conheceram eles começaram a se relacionar. Nesta época os abusos começaram acontecer. O homem também ameaçava a garota para que nada fosse exposto a familiares. “Assim que a mãe confirmou que a filha era abusada ela acionou a polícia. O homem tem uma extensa ficha criminal por tráfico, roubo e violência contra a mulher”, disse Lopes.  

  Buscas  

Segundo a corporação, um quinto homem é considerado foragido e é alvo de diligências. Ele tem 37 anos e está sendo procurado por ter violentado a filha de 3 anos.  

 Atentos aos sinais 

A delegada Carolina Bechelany pede atenção aos pais e responsáveis. Segundo ela, crianças que estão sendo vítimas de abuso sexuais apresentam mudança de comportamento como: irritabilidade, medo excessivo, depressão e automutilação – cortes provocados no braço ou em outras partes do corpo. “Além de prender agressores a Polícia Civil também orienta. No nosso site tem uma cartilha em que explicamos para pais sobre os principais sinais que as crianças vítimas desse tipo de crime apresentam”, orientou a delegada.  Para ter acesso a cartilha basta acessar o portal da Polícia Civil: policiacivil.mg.gov.br 

 Denúncia 

Quem tiver informações do foragido ou de denúncias de crimes pode entrar em contato pelo telefone 181 ou ir até a Delegacia Especializada em Proteção à Criança e Adolescente (DEPCA), localizada na avenida Nossa Senhora de Fátima, 2.175, no bairro Carlos Prates, em Belo Horizonte.  

 Balanço 

As prisões fazem parte da quarta fase da operação Acalento, deflagrada no dia 2 de julho para coibir a violência sexual contra crianças e adolescentes na capital. De acordo com a Polícia Civil, a operação será finalizada no dia 16 de julho, data em que será divulgado o balanço da operação.  

Fonte: O Tempo

Comentários
COMPATILHAR: