A Polícia Civil em Itaúna deu detalhes da ação realizada nessa quarta-feira (1º), que resultou na prisão de quatro suspeitos de homicídios, consumados e tentados, na cidade. A ação, que teve apoio da Polícia Militar, empenhou 18 policiais civis da Delegacia Regional de Divinópolis, além de cães farejadores e dez viaturas.

Não foram informadas as idades dos envolvidos, no entanto, um dos delegados responsáveis pelo caso, Jorge Mello, afirmou que são todos com mais de 18 anos. Eles foram encaminhados para o sistema prisional da região.

Operação

Segundo o delegado Jorge Mello, a operação foi resultado de uma força-tarefa realizada pela Polícia Civil, cujo objetivo é a apuração de crimes de homicídio ocorridos no município neste ano.

Foram cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão relativos aos crimes de homicídios consumados e tentados, sendo um deles registrado no 4 de fevereiro, no local conhecido como Alto da Laje, no bairro Alto do Rosário. Na ocasião, um homem foi morto com diversos disparos de arma de fogo. A idade da vítima não foi informada.

 “Do final do ano passado ao início deste ano foram diversos casos de homicídios em Itaúna. E por isso, foi criada uma força tarefa envolvendo delegados e investigadores. Nós iniciamos as investigações desses casos, dos quais sete estão praticamente apurados com os respectivos autores presos. Nesta quarta-feira (1º) desencadeamos mais uma ação para prender mais autores desses homicídios”, declarou o delegado Jorge Mello.

Buscas

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em endereços relacionados aos suspeitos, onde foi possível apreender um veículo usado pelos envolvidos para fugirem no dia do homicídio registrado no dia 4 de fevereiro, bem como, um aparelho celular de um dos autores e roupas de outro suspeito, semelhantes às usadas no dia do crime.

As investigações, coordenadas pelos delegados Jorge Mello e Dirceu Ribeiro, apontam que suspeitos e vítimas envolvidos neste crime fazem parte de organizações criminosas rivais. Durante a ação da Polícia Civil, foi possível identificar e desmontar um acampamento situado em uma mata atrás dos bairros Morada Nova e Santa Edwirges.

“Apreendemos a barraca e pertences que ficavam nessa mata, que era um local estratégico de vigilância dos suspeitos, além de servir como rota de fuga e abrigo pelos membros do grupo”, concluiu o delegado.

Fonte: G1

Comentários
COMPATILHAR: