O vice-prefeito de Belo Horizonte, Délio Malheiros (PV), considera a possibilidade de dar desconto no valor do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para quem deixar o carro em casa e optar por transportes alternativos ou públicos.
A declaração foi feita nesta quarta-feira (20), no lançamento do evento Mobilidade Urbana – Construindo Cidades Inteligentes, realizado na Assembleia Legislativa de Minas (ALMG).

Na ocasião, Malheiros defendeu que é preciso repensar a cobrança do tributo. É justo quem deixa o carro em casa pagar o mesmo valor de quem circula?, questionou o vice-prefeito.

O objetivo do evento – que contou com o apoio de autoridades municipais, estaduais e federais ligadas ao assunto – é aprofundar a discussão sobre problemas de mobilidade que comprometem a vida do cidadão, como os constantes engarrafamentos e as frequentes queixas de usuários sobre a qualidade do transporte público na capital e na região metropolitana.
A nossa função é discutir com os atores e desenvolver leis que possam impactar na vida das pessoas, explicou o presidente da ALMG, deputado Diniz Pinheiro (PSDB).

Na busca de soluções concretas, a ALMG vai promover reuniões a partir do próximo mês, para permitir o debate entre poder público e sociedade civil, seguindo as determinações da Lei Federal 12.587/2012, que instituiu as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana.

Para o secretário de Estado de Transporte e Obras Públicas, Carlos Melles, o governo tem investido em melhorias para o setor, a começar pela ampliação do metrô, em Belo Horizonte, solução para o transporte de massa.

Especialista
Para o consultor em engenharia de transporte e trânsito Osias Baptista Neto, o foco na eficiência é o caminho para a boa mobilidade urbana. Temos que aumentar o transporte público e restringir o privado. Não consigo resolver a questão da mobilidade sem atender ao conjunto, disse.

Comentários
COMPATILHAR: