O deputado Professor Cleiton, autor da proposta já transformada em Emenda à Constituição de Minas Gerais nº 106, participou nesta quinta-feira (17), da primeira reunião do Grupo de Trabalho de Furnas. O encontro virtual, promovido pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, foi um marco histórico na trajetória da PEC 52 e um grande desdobramento da luta coletiva pelos Lagos de Furnas e Peixoto.

Durante a reunião, o Secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas de Oliveira, elogiou o deputado, afirmando que, com dois mestrados, ele sabe muito sobre patrimônio e que é importante que todos entendam mais sobre a PEC 52. Leonidas falou, também, sobre a grandiosidade da Emenda à Constituição para a preservação do Mar de Minas e para o Lago de Peixoto.

O parlamentar contou um pouco sobre a construção da PEC 52 e falou sobre o alento que a formação desse grupo traz para todos os que fazem parte da luta. Durante a sua participação, ele reforçou que a recuperação econômica de Minas Gerais está diretamente atrelada ao, agora oficial, tombamentos dos Lagos de Furnas e Peixoto. Afinal, a garantia das cotas mínimas, o uso múltiplo das águas e essa parceria entre o legislativo, o executivo, os circuitos turísticos e a sociedade civil irão valorizar e possibilitar as diferentes modalidades de turismo na região.

Michele Arroyo, presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico, marcou a reunião ao afirmar que o que assegura um bem como um patrimônio é a definição e relação que ele desenvolveu com a população e não a sua origem, sendo natural ou artificial. Para quem vive nas regiões, Furnas e Peixoto, hoje tombados, nunca foram vistos como reservatórios, e sim lagos que geram alimentos, empregos e renda.

A primeira reunião trouxe grandes surpresas, incluindo a apresentação de um modelo para um plano regional da paisagem cultural para os lagos e outros projetos e ideias dos presentes. Vale esclarecer que a criação do GT tem o objetivo de promover estudos referentes à manutenção, preservação e promoção dos Lagos de Furnas e Peixoto e do uso múltiplo das águas para a preservação ambiental, desenvolvimento econômico e turístico de Minas Gerais.

Durante a reunião, o Secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas de Oliveira, elogiou o deputado, afirmando que, com dois mestrados, ele sabe muito sobre patrimônio e que é importante que todos entendam mais sobre a PEC 52. Leonidas falou, também, sobre a grandiosidade da Emenda à Constituição para a preservação do Mar de Minas e para o Lago de Peixoto.

O parlamentar contou um pouco sobre a construção da PEC 52 e falou sobre o alento que a formação desse grupo traz para todos os que fazem parte da luta. Durante a sua participação, ele reforçou que a recuperação econômica de Minas Gerais está diretamente atrelada ao, agora oficial, tombamentos dos Lagos de Furnas e Peixoto. Afinal, a garantia das cotas mínimas, o uso múltiplo das águas e essa parceria entre o legislativo, o executivo, os circuitos turísticos e a sociedade civil irão valorizar e possibilitar as diferentes modalidades de turismo na região.

Michele Arroyo, presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico, marcou a reunião ao afirmar que o que assegura um bem como um patrimônio é a definição e relação que ele desenvolveu com a população e não a sua origem, sendo natural ou artificial. Para quem vive nas regiões, Furnas e Peixoto, hoje tombados, nunca foram vistos como reservatórios, e sim lagos que geram alimentos, empregos e renda.

A primeira reunião trouxe grandes surpresas, incluindo a apresentação de um modelo para um plano regional da paisagem cultural para os lagos e outros projetos e ideias dos presentes. Vale esclarecer que a criação do GT tem o objetivo de promover estudos referentes à manutenção, preservação e promoção dos Lagos de Furnas e Peixoto e do uso múltiplo das águas para a preservação ambiental, desenvolvimento econômico e turístico de Minas Gerais.

Fonte: Assessoria do Deputado Professor Cleiton

Comentários
COMPATILHAR: