O portal Últimas Notícias  recebeu uma denúncia na quarta-feira (22), informando que o Banco de Sangue da Santa Casa de Caridade de Formiga estava prestes a fechar, sendo que funcionários do setor estavam, inclusive, sendo desligados da entidade (demitidos).

Em contato com o gerente administrativo do hospital, José Orlando Fernandes Reis, o mesmo desmentiu a denúncia e explicou que o Banco de Sangue está passando por uma reestruturação. “Os testes com o material estocado (sangue) eram feitos no próprio banco, por técnicos de bancada. Para atender uma exigência do Hemominas, órgão que nos envia as bolsas de sangue periodicamente, os testes agora serão feitos por um bioquímico, no laboratório da Santa Casa”.

De acordo com o gerente administrativo, essa mudança além de melhorar a qualidade do trabalho oferecido pela entidade nesse setor, diminuirá o tempo gasto para se fazer os testes. “Com essa mudança, um teste que demora 30 minutos para ficar pronto será entregue em 10 minutos”, disse.

Apesar de garantir que o estoque do banco está abastecido, José Orlando informou que a dificuldade para conseguir doadores e veículos para leva-los até Divinópolis, onde se localiza o Núcleo de Doação da Fundação Hemominas, é preocupante.

A falta de veículo adequado para o transporte de voluntários até Divinópolis, assunto que já foi pauta de várias matérias no jornal, ainda não foi solucionada, afirma José Orlando.

O transporte dos voluntários, incluindo veículo, combustível e pagamento das diárias do motorista é de responsabilidade da Secretaria de Saúde, e este serviço é indispensável para a manutenção dos estoques de sangue da Santa Casa.

José Orlando Fernandes Reis ( Foto: Divulgação)

A falta de veículo adequado para o transporte de voluntários até Divinópolis, assunto que já foi pauta de várias matérias no jornal, ainda não foi solucionada, afirma José Orlando.

O transporte dos voluntários, incluindo veículo, combustível e pagamento das diárias do motorista é de responsabilidade da Secretaria de Saúde, e este serviço é indispensável para a manutenção dos estoques de sangue da Santa Casa.

As doações são feitas uma vez por semana, às sextas-feiras e os constantes problemas com transporte têm dificultado a captação de voluntários. A saída é logo no início da manhã, por volta das 6h, e são muitos os casos de pessoas que se habilitaram a levantarem ainda cedo e se deslocarem até Divinópolis, mas que pela falta do veículo, tiveram que voltar para suas casas.

De acordo com José Orlando, campanhas serão feitas no hospital junto às famílias dos pacientes e no município, incentivando a doação de sangue. “O hospital atende o Pronto Atendimento Municipal [PAM], além de pacientes de cidades da região. A demanda aumentou e as doações diminuíram. É preciso todo esforço para aumentar a captação de doadores de sangue em nossa região”, concluiu.

 

Comentários
COMPATILHAR: