Escolas de todo o Estado de Minas Gerais já podem se inscrever no Programa de Aprofundamento de Estudos da Secretaria de Estado de Educação (SEE). O Programa oferece aos estudantes do ensino médio das escolas estaduais a oportunidade de aumentar a carga horária de estudos no contraturno das aulas. O Programa foi criado em 2006 e já atendeu a 190 mil estudantes no Estado. Nesta edição, a SEE oferece 50 mil vagas para escolas do Estado.
O aprofundamento de estudos permite diferentes organizações curriculares. Este ano, a matriz de referência para os estudos será a mesma do Enem, mas pode variar de acordo com a demanda de determinada escola. As aulas do programa podem ser organizadas por área de conhecimento ou por disciplinas isoladas, além disso, podem ter como foco o reforço escolar ou a preparação para um exame específico. ?O aprofundamento de estudos dá condições para que os estudantes aprimorem habilidades e competências em disciplinas ou áreas de conhecimento nas quais apresentam mais dificuldades. E também é uma oportunidade para que esses estudantes se preparem melhor para o Enem e para os vestibulares?, explica a subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica da SEE, Raquel Elizabete de Souza Santos.
O estudante pode optar por cursar de duas a cinco disciplinas no programa, sempre no contraturno ou aos sábados. As atividades têm duração de quatro ou cinco horas/aula por dia e a escola pode ofertar o programa no máximo três vezes por semana. As disciplinas de português e matemática são obrigatórias, exceto nas escolas que optarem por ofertar o aprofundamento apenas uma vez na semana. Para disponibilizar o aprofundamento de estudos, a escola deve fazer um levantamento dos estudantes interessados e cadastrá-los no site do programa (www.squarcio.com.br/aprofunda), por meio dos números de CPF.
Diante do interesse dos alunos, a escola repassa a demanda para a secretaria, que faz a seleção dos professores. Eles podem ser designados especificamente para lecionar no aprofundamento de estudos ou serem selecionados na própria escola. Nesse caso, o professor que sair de sala de aula para trabalhar no projeto é substituído por outro designado. A SEE autoriza a designação dos professores a partir da demanda verificada no cadastramento. Além do investimento na designação de docentes, a secretaria também reserva R$ 1 milhão para que as escolas comprem material de consumo para o projeto.
A Escola Estadual Santos Dumont, na cidade de Belo Horizonte, desenvolve o Aprofundamento de Estudos desde o início do projeto, em 2006. Segundo a diretora Ana Maria Costa Diniz, o programa atende alunos dos três anos do ensino médio e já obteve bons resultados. ?Vários alunos já passaram no vestibular desde que o programa começou. Hoje a primeira turma que fez o aprofundamento está formando nas faculdades?, explica Ana Maria.
Mais do que garantir a aprovação nos exames de seleção, o aprofundamento de estudos também serve de reforço para os conteúdos aprendidos. ?Antes nos fazíamos o aprofundamento só no 3º ano, como um cursinho pré-vestibular, mas hoje nós trabalhamos em todo o ensino médio. Para os alunos de 1º e 2º ano, o programa serve como aula de reforço?, completa a diretora.

Comentários
COMPATILHAR: