Os buracos estão por todo o lado nas vias públicas, dividindo espaço com motoristas e pedestres. A situação está caótica, mas parece que vai persistir um pouco mais. Isso porque a Unibase Engenharia e Pavimentação Ltda, empresa vencedora do processo licitatório, interrompeu, em novembro do ano passado, o fornecimento de massa asfáltica para a Secretaria Municipal de Obras realizar a operação tapa-buracos, segundo informou o secretário adjunto da pasta, Riderson Borges. Assista abaixo um trecho da entrevista.
De acordo com ele, o proprietário da empresa alegou que o serviço seria paralisado, pois a companhia estaria passando por uma ?reforma? e daria férias prêmio aos funcionários. Dessa forma, o fornecimento de massa asfáltica só seria retomado no dia 10 deste mês, na sexta-feira passada.
Novamente, em contato com a Unibase, o secretário Riderson Borges foi informado que a empresa só poderá fornecer o material para recapear as ruas depois do Carnaval, ou seja, mais alguns meses em meio a buracos. Isso se não for solicitada uma nova data pela companhia.
Riderson explicou que, assim que receber a massa asfáltica, os funcionários da Prefeitura levarão pelo menos 90 dias para deixar a cidade livre de buracos.
O escritório da Unibase Engenharia e Pavimentação Ltda fica em Belo Horizonte, mas a usina de asfalto está localizada na cidade vizinha de Arcos. A empresa ganhou duas licitações para fornecer a massa asfáltica. No primeiro processo licitatório foram requeridas 825 toneladas de massa, dessa quantidade sobraram 185 que não puderam ser utilizadas, ainda no ano passado, porque a empresa suspendeu o fornecimento, e devido às chuvas. O valor do serviço ficou em R$131.625.
Uma nova licitação foi realizada no mês passado e a Unibase foi novamente a ganhadora do processo. Dessa vez, a Prefeitura contratou mil toneladas de massa asfáltica no valor de R$151.200. O material será usado durante todo o ano para recapear as ruas do município. ?Nós estamos de mãos atadas, esperando o fornecimento de massa asfáltica da empresa para recapear as ruas?.
O secretário adjunto de Obras disse que, caso a situação não mude, pretende notificar a Unibase, porém, se um novo processo licitatório for aberto, o trabalho de recapeamento das ruas ficará mais atrasado do que já está. ?Vou conversar com a Procuradoria Municipal para saber quais as medidas cabíveis nesse caso?, ressaltou Riderson Borges.
Na Unibase
A reportagem do portal Últimas Notícias e do jornal Nova Imprensa ligou para o escritório da Unibase, em Belo Horizonte, a fim de conversar com o proprietário da empresa para mais esclarecimentos. A secretária informou que o responsável pela companhia estava em reunião e que retornaria à ligação assim que possível.

Comentários