Esta será a primeira apresentação do padre Fábio de Melo na cidade em 2 anos. Seu último evento público em Formiga foi no ano de 2007, quando realizou dois shows/palestras no Colégio Santa Teresinha.
De acordo com Frederico Soares, assessor do padre, a ideia de trazê-lo à Formiga com seu novo show se originou no início deste ano. Fizemos alguns estudos sobre a logística do show. Tivemos que adequar e trabalhar com tempo. Um evento como esse desperta interesse em muitas pessoas de outras regiões do país, justamente por ser um show diferente, na terra do padre, destacou.
Frederico informa que são esperados visitantes de outros estados, como São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Mato Grosso, além de mineiros de outras cidades da região.
Para atender ao grande público que é esperado para o evento, o Parque de Exposições será dividido em dois setores: pista e cadeiras. Além disso, a produção contratou uma equipe de profissionais especializada em segurança. Para evitar tumultos, foi reservada uma carga de ingressos que será comercializada na bilheteria do Parque, no dia do show.
O evento é uma parceria com a Prefeitura Municipal de Formiga que subsidiou o preço do ingresso. Segundo a secretária de Cultura, Maria Andrada, em entrevista ao Nova Imprensa semana passada, a administração municipal queria contratar o show do padre Fábio de Melo, mas os custos de infraestrutura são altos. Desta forma, o prefeito Aluísio Veloso se mostrou disposto a contribuir com um valor, para que o preço do ingresso fosse mais acessível para a população.
Eu e o Tempo tem duração média de 2 horas. O show que deu origem ao DVD de mesmo nome aborda a temática do tempo de duas formas diferentes. A primeira, o tempo cronológico, fala do envelhecimento e da transformação física do mundo. A segunda, o tempo litúrgico, fala do tempo de Deus, dos sentimentos e das intenções rumo à redenção.
O espetáculo possui três momentos distintos: A Festa de Pentecostes abre o show para falar da descida do Espírito Santo à Terra, o Advento, representado no segundo momento, traz a purificação das almas e, por último, a Epifania vem como uma reafirmação de fé para os fiéis presentes.
Algumas músicas que compõe o show são: As Estações da Vida, Vida, Tudo é do Pai, Eu Espero, O Caderno e Pai!, regravação do grande sucesso de Fábio Júnior.
Os portões do Parque de Exposições serão abertos às 17h30. Também sobem ao palco a cantora Mariani e o Coral Filhos de Deus, da cidade de Formiga. O show de Padre Fábio de Melo está programado para ter início por volta de 20h30.
Os ingressos estão sendo vendidos (em Formiga) na Tabacaria do Mauro, Livrocor, Bazar Guri, WE Boutique, Ziggy Calçados, Drogaria Santa Maria, Livraria Adorai, Loja Mundo Novo e Delani. Em Divinópolis na Slep Sorveteria e Livraria Santo Antônio e em Arcos na Nina Magazine e Telemensagem Arcos.
De volta pro aconchego
O ano é 1985. Dominguinhos e Nando Cordel se reúnem e escrevem um dos maiores clássicos da história da música popular brasileira, que fala sobre saudade, refúgio e retorno às origens, interpretado na voz de Elba Ramalho. Também é em 1985 que o formiguense Fábio José de Melo Silva dá início à sua formação e aos seus estudos nos seminários dehonianos. Não estamos em 1985, mas as duas histórias estão co-relacionadas, mesmo que de forma distante. É que neste sábado, 17 de outubro, o hoje nacionalmente conhecido Padre Fábio de Melo volta para seu aconchego e retorna às suas origens, já que se apresentará no Parque de Exposições de Formiga, sua terra natal, no auge da carreira.
Aos 38 anos de idade, Padre Fábio de Melo tem colaborado na evangelização e despertado muitas pessoas ? especialmente jovens ? para o ambiente da igreja católica, graças ao seu carisma, referências e obras, que se disseminam cada vez mais nos mercados fonográfico e midiático, mesmo em tempos de pirataria.
Em números, já são mais de 2 milhões de álbuns vendidos. Seu atual show ? Eu e o Tempo – que será apresentado em Formiga, é um dos mais requisitados no país. Seu último livro – Cartas Entre Amigos, parceria com Gabriel Chalita ? lidera o ranking dos mais vendidos na categoria Não-Ficção.
Filho de Dona Ana Maria e Sr. Dorinato Bias Silva, Fábio de Melo é o caçula de oito filhos e foi ordenado padre em 15 de dezembro de 2001. Em sua infância, estudou na Escola Estadual Abílio Machado. Já no segundo grau, Fábio se formou no colégio Nossa Senhora de Lourdes, em Lavras.
Mais tarde, se formaria em Teologia na Faculdade Dehoniana de Taubaté/SP e em filosofia pela Fundação Educacional de Brusque/SC. Fábio também se pós-graduou em Educação no Rio de Janeiro e fez mestrado em Belo Horizonte, no Instituto Santo Inácio.
O vasto referencial teórico, aliado ao fácil domínio da palavra e do estilo mais despojado em relação aos trejeitos tradicionais da igreja católica, foram alguns dos motivos que despertaram o interesse da mídia em cima da obra de Padre Fábio de Melo.
Tema de pauta em jornais e revistas de circulação nacional, Padre Fábio já recebeu convites e participou dos mais variados estilos de programas de TV, sejam eles com abordagem católica ou não.
Como era de se esperar, tamanha exposição certamente daria margem não apenas para elogios, mas também críticas.
Parte da imprensa não engole o fato de Fábio de Melo ser um padre sem batina e prefere julgar sua aparência ao invés de seus ideais. A revista Veja, por exemplo ? que 10 anos atrás destacava o ainda Frei Fábio de Melo como boa-pinta e carismático, podendo ser o padre Marcelo no futuro ? publicou uma matéria em fevereiro deste ano que desagradou muita gente, inclusive o próprio Fábio de Melo.
A Veja destacou a presença do padre no mercado da música cristã, mas traçou o comportamento de Fábio de Melo, chamando a atenção para seu exagerado zelo pela aparência e o gosto por acessórios de primeira linha, descrevendo isso como uma aproximação extramada com o mundo secular e colocando em questão até o comportamento/estilo de seu público.
A matéria decepcionou Padre Fábio, que resolveu desabafar em seu programa Direção Espiritual (toda 5ª feira, 22h30, na Canção Nova). De tudo o que às vezes sai sobre mim, sabe o que mais me fere? É o desrespeito com meu público. Quando jogam todo mundo num mesmo saco, dizendo que o público que vai a meu show, aos meus eventos, é um bando de mulher histérica gritando que eu sou gostoso. Quem diz isso não sabe nada! Essa é uma mentalidade infeliz de quem não sabe quem a gente é, que nos viu uma vez e que se sente no direito de dizer que meu público são um bando de desequilibrados. O desrespeito não foi só comigo, foi com a música católica, com a música cristã, disse, na ocasião.
Diante de tamanha exposição e alheio aos elogios e críticas da mídia, Padre Fábio de Melo continua trilhando seu caminho e sua missão, e tem disseminado conhecimento não apenas Brasil afora. Em novembro, por exemplo, visitará a África do Sul.
Seus shows, sejam nas principais casas de espetáculo de grandes centros como Rio e São Paulo ou em pequenas cidades do interior de regiões mais humildes como o Nordeste, sempre são muito concorridos. O público, diferentemente do que foi relatado de forma equivocada pela Veja, geralmente é formado por famílias, que enxergam no estilo, talento e conhecimento embasado do padre uma nova e mais prazerosa forma de se confortarem e buscarem novas alternativas através de suas palavras.
Atualmente, Padre Fábio de Melo está gravando um novo álbum. Os bastidores da gravação podem ser acompanhados em vídeo no site da Som Livre (www.somlivre.com/blogpefabiodemelo).

COMPATILHAR: