Minas Gerais já registra 33 mortes e 133 casos de pessoas infectadas por gripe influenza A, neste ano. Esses números, somados, levam em conta os 20 óbitos por óbitos H1N1 e os 13 por gripe não síndrome respiratória aguda causada por vírus não subtipado.

Os dados aparecem no balanço da Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgado na tarde desta quinta-feira (2).

O boletim epidemiológico assusta, uma vez que, em todo o ano passado, apenas três pessoas morreram por complicações com esses tipos de gripe e oito haviam sido infectadas.

O levantamento, que compreende os dados recolhidos até 28 de maio, ainda aponta  que duas pessoas morreram no Estado por influenza B.

H1N1

Em relação as pessoas que foram vitimadas pela gripe H1N1, o levantamento mostra que a cidade com maior casos de mortes por complicações pela doença continua sendo Campo Belo, com quatro registros. Em seguida, aparecem os municípios de Frutal e Lavras, com dois óbitos, cada.

Já as cidades de Andradas, Extrema, Juiz de Fora, Pouso Alegre, Varginha, Betim, Capitólio, Contagem, Funilândia, Monte Santo de Minas, Piranguçu e Sete Lagoas, registraram uma morte cada.

Influenza A não subtipado

As cidades de Campo Belo e Guaxupé registraram duas mortes em função da doença. Já Belo Horizonte, Formiga, Juiz de Fora, Ribeirão das Neves, Viçosa, Martinho Campos, Santa Luzia, Santa Rita de Caldas e Senador Amaral, contabilizaram uma morte cada.

Outros casos

Além desses tipos de gripe, o levantamento da SES aponta que, de janeiro até agora, foram registrados 220 mortes por todos os tipos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em Minas. Os números sobre a gripe H1N1 já estão inclusos nesse balanço.

 

 

Fonte: O Tempo ||http://www.otempo.com.br/cidades/sobe-para-33-o-n%C3%BAmero-de-mortos-por-influenza-a-em-minas-gerais-1.1312477

Comentários