Da Redação

Moradores do bairro Rosário estão aterrorizados com a ocupação do cemitério local por usuários de drogas. O espaço foi tomado por indivíduos que fizeram do cemitério um ponto de venda e de consumo de entorpecentes. “Os usuários tomaram conta do local e intimidam quem tenta visitar os túmulos e os moradores que transitam pela rua. O cemitério está um caos!”, informou um morador ao Últimas Notícias, que preferiu não se identificar por medo de represálias. Atitude seguida pelos demais moradores ouvidos pelos portal.

De acordo com o reclamante, até o vigia do cemitério já sofreu com a ação dos dependentes químicos. “O funcionário só vai ao cemitério quando tem velório, pois ele já apanhou dos indivíduos”.  Ao passar pelo local à noite, segundo moradores, é possível ver os usuários “empoleirados” em cima do muro do cemitério. “Estava voltando do meu curso à noite e vi até uma grávida em cima do muro com outros indivíduos”.

(Foto: Glaudson Rodrigues/Últimas Notícias)

Localizado na rua Padre Daniel Nascimento Lindo, o cemitério está próximo a outro ponto de drogas conhecido pelos moradores do bairro, a praça Nossa Senhora das Mercês, localizada na avenida de mesmo nome. “Além do ponto de drogas na praça, a via é cheia de bares irregulares que colaboram com o tráfico”, informou o reclamante.

A Prefeitura e a Polícia Militar já foram acionadas e, segundo a população, já estão cientes da situação do local, mas o problema persiste. De acordo com os moradores, para facilitar a entrada e saída do local, os usuários arrancaram um dos portões do cemitério. “O cemitério virou um atalho para os usuários transitarem do Rosário ao bairro Lajinha. Para facilitar a passagem, os dependentes químicos arrancaram o portão do cemitério. A Prefeitura até trocou o portão, mas eles arrancaram novamente. Quando acionamos a polícia, os militares fazem a ronda, momento em que os usuários se escondem e escondem as drogas nos túmulos e, logo em seguida, a bagunça recomeça”.

Os moradores cobram uma solução definitiva das autoridades. “Queremos da PM e da Prefeitura uma solução definitiva. Estamos correndo riscos de sermos assaltados durante a noite, já que além da invasão, a rua é mal iluminada, e durante o dia somos intimidados pelos usuários e não podemos visitar os túmulos de parentes e conhecidos. Até tiroteio já ocorreu no local. Estamos desesperados, nos sentimos abandonados”, desabafou o morador.

Os cemitérios são considerados patrimônio público e a manutenção e preservação do espaço é de responsabilidade da Prefeitura. Dessa forma, o Últimas Notícias entrou em contato com a Secretaria Municipal de Comunicação para saber quais ações serão tomadas para solucionar o problema, mas até a postagem dessa matéria, a Prefeitura não havia se posicionado.

Comentários
COMPATILHAR: