Em reunião entre a mesa administrativa da Santa Casa de Caridade de Formiga e o corpo clínico do hospital, realizada na noite desta segunda-feira (2), ficou definido o encerramento das atividades de três importantes setores da entidade: UTI adulto, UTI Neonatal e Maternidade.
A decisão era o grande temor de boa parte da população, mas de acordo com o provedor da entidade, Sidney Ferreira, a situação se tornou insustentável diante da falta de dinheiro para pagar os médicos. ?Os médicos que atendiam na UTI já estavam sem receber há três meses e na maternidade, tem atrasos que chegam há quase um ano. Não tem como estabelecer um vínculo de trabalho com nenhum profissional sem pagá-lo e ninguém quer trabalhar sem receber?, comentou o provedor.
O próximo passo será informar as autoridades competentes sobre a decisão (Secretaria de Estado de Saúde, Secretaria Municipal de Saúde, Judiciário, Ministério Público e Conselho Regional de Medicina).
O fechamento dos setores não é imediato e deverá ocorrer em 30 dias. ?Em 15 dias, se esses débitos não forem quitados com os profissionais, começa o esvaziamento dos setores e as vagas abertas não serão mais preenchidas?, comentou o provedor, que lamenta muito a decisão, mas explica que não é possível tomar outra atitude diante do quadro negativo que se arrastava há tempos na entidade e foi motivo de intervenção judicial.
Segundo apurou o jornal, a dívida que levou a esta decisão gira em torto de R$5 milhões, sendo que R$2,5 mi são de valores atrasados para pagar os médicos. O valor restante é referente à dívidas com fornecedores para a compra de material médico, setor de nefrologia e laboratório. De acordo com o provedor, sem a quitação desses débitos, não há possibilidade de manutenção dos setores.

Comentários