A Secretaria Municipal de Saúde já vacinou 458 adolescentes contra o HPV (Papiloma Vírus Humano). Os números se referem até dia 24 de março, data do último balanço parcial.
Os resultados até o momento são: adolescentes de 11 anos: 139 primeiras doses contra HPV; de 12 anos: 151 primeiras doses; 13 anos: 168 primeiras doses.
A Secretaria de Saúde iniciou a vacinação no dia 10 de março. A enfermeira Ana Carolina Castro Oliveira, do Setor de Epidemiologia, explica que o objetivo da iniciativa é a prevenção do câncer do colo do útero, refletindo na redução da incidência e da mortalidade por essa enfermidade.
O esquema vacinal adotado será o estendido, composto por três doses (0, 6 meses e 60 meses). Dessa forma, as adolescentes que receberam a 1ª dose em março de 2014 receberão a 2ª dose em setembro de 2014 e a 3ª e última dose em março de 2019.
Inicialmente, o público-alvo da vacinação com a vacina HPV é composto por adolescentes do sexo feminino na faixa etária de 11 completos a 13 anos, 11 meses e 29 dias. Em Formiga, essa população está estimada em 1.452 adolescentes. Assim, a meta é vacinar 80% delas, ou seja, 1.162 meninas.

Onde vacinar

A vacinação ocorre nas salas de vacinas dos postos de saúde de Formiga como rotina e em escolas públicas e privadas por ocasião das ações extramuros, com flexibilidade de adaptação às várias realidades.
As salas de vacinas dos postos de saúde de Formiga disponibilizam vacinas de segundas a sextas-feiras, das 7h30 às 16h30. A apresentação do cartão de vacinas, documentação e em casos de menores de idade a presença ou a autorização de um responsável são de extrema importância.

Saiba mais sobre o HPV

O HPV é um grupo de vírus que causa lesões precursoras de câncer, principalmente o câncer de colo de útero. Os tipos virais oncogênicos mais comuns são HPV 16 e 18, responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero, enquanto os HPV 6 e 11 estão associados a até 90% das lesões anogenitais.
A principal forma de transmissão do HPV é por via sexual, que inclui contato oral-genital, genital-genital ou mesmo manual-genital. Estima-se que entre 25% e 50% da população feminina e 50% da população masculina mundial esteja infectada pelo HPV.
Considerando que o HPV é condição necessária para o câncer cervical, a vacinação para prevenção do HPV representa potencial para reduzir a carga de doença cervical e lesões precursoras. O Ministério da Saúde adotou a vacina quadrivalente contra HPV que confere proteção contra HPV de baixo risco (HPV 6 e 11) e de alto risco (HPV 16 e 18). Essa vacina previne infecções pelos tipos virais presentes na vacina e, consequentemente, o câncer do colo do útero e reduz a carga da doença. Tem maior evidência de proteção e indicação para pessoas que nunca tiveram contato com o vírus.
?Cabe lembrar que vacinação é uma ferramenta de prevenção primária e também não substitui o rastreamento do câncer, pois a vacina não confere proteção contra todos os subtipos oncogênicos de HPV. Da mesma forma, a vacina não confere proteção contra outras doenças sexualmente transmissíveis e, por isso, a importância do uso do preservativo em todas as relações sexuais?, destaca Ana Carolina Oliveira.

Comentários