O litro da gasolina repassado às distribuidoras pelas refinarias da Petrobras sofreu um aumento próximo de R$ 0,09 de quinta-feira (12) para cá, e motoristas mineiros sentem diretamente no bolso o crescimento médio nos preços dos combustíveis praticados pelos postos. O cenário é principalmente escancarado pelo levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) feito entre os dias 15 e 21 de agosto.

O relatório indica que a gasolina em Minas Gerais é a quinta mais cara do país, com preço máximo de R$ 6,759. À frente do território mineiro aparecem os estados do Rio Grande do Sul, Acre, Rio de Janeiro e Sergipe – no primeiro, o valor máximo encontrado é de R$ 7,189; no Sergipe, o preço mais alto é de R$ 6,789. A gasolina mais barata do Brasil atualmente, por outro lado, é encontrada no Amapá pelo preço máximo de R$ 5,350. 

Em território mineiro, o levantamento da ANP indicou que a gasolina mais cara encontra-se no município de Paracatu, à região Noroeste. O posto mais caro da cidade cobra R$ 6,514 pelo litro da gasolina. O mais barato, R$ 6,257. 

A gasolina mais barata em Minas Gerais, por outro lado, é achada em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. O preço mínimo no município é R$ 5,899; o máximo é R$ 6,399. Em relação a Belo Horizonte, foram 39 os postos de gasolina analisados pela ANP. O preço médio na capital mineira é R$ 6,063. O valor mínimo é R$ 5,974, e o máximo R$ 6,199. Àqueles motoristas interessados em saber sobre os menores valores praticados em Minas Gerais, a informação do levantamento é que Contagem, à região metropolitana de BH, guarda o menor preço médio do estado – R$6,058. 

Fonte: Itatiaia

Comentários
COMPATILHAR: