O prefeito Aluísio Veloso foi submetido a uma angioplastia após sofrer um infarto na noite desta terça-feira (27). O quadro de saúde do prefeito é estável e ele permanece internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do hospital São João de Deus, em Divinópolis.
Aluísio Veloso receberá alta do hospital daqui a 7 ou 8 dias, segundo informações do médico Lissandro Marco G.Teixeira, que atendeu o prefeito.
Entenda o que é angioplastia
A angioplastia é uma técnica que é empregada em milhões de pacientes todos os anos. Trata-se de técnica simples, porém muito sofisticada, que exige treinamento intensivo e larga experiência profissional. Em linhas gerais, consiste no seguinte: o paciente é deitado numa cama de exames que tem embaixo um aparelho de raio-X e acima, uma câmera. Por uma incisão na virilha ou no braço, introduz-se um tubo plástico na origem da artéria coronária, através da qual ele é conduzido até alcançar a artéria que irriga o coração.
Como os cateteres são pré-moldados e radiopacos, não é difícil encontrar esse ponto, acompanhando o percurso do tubo por controle radiológico. O contraste que se injeta, a seguir, torna visível a árvore coronária e o lugar exato em que se deu a obstrução.
Daí em diante, esse cateter funciona como guia para conduzir um fiozinho flexível e delgado que ultrapassa a obstrução e que será recoberto por outro cateter em cuja extremidade existe um pequeno balão inflável. Utilizando uma bomba pneumática, o balão é insuflado no local em que ocorreu o entupimento para comprimir a placa gordurosa e os trombos contra a parede da artéria. O balão é retirado da artéria e injeta-se novamente contraste para verificar se o fluxo sanguíneo se restabeleceu.
Nesses momentos, é comum enxergar, irrigando grande área da musculatura cardíaca, ramos coronarianos invisíveis antes da desobstrução. Nas angioplastias primárias, as possibilidades de sucesso ultrapassam 85% das intervenções.
Sintomas do infarto
O sintoma clássico do infarto é uma dor violenta (os pacientes referem-se, com frequência, à sensação de morte iminente), pressão na parte anterior do tórax, na altura do esterno, sufocação, suor frio, atordoamento e profundo mal-estar. Se a dor é contínua e nada a alivia, deve-se procurar socorro imediatamente. O infarto pode ser fatal.
Há, porém, manifestações bastante atípicas. Partindo do extremo oposto, não é desprezível o número de casos em que o infarto é absolutamente silencioso. Isso ocorre com mais frequência em diabéticos. Não é raro encontrar-se, numa avaliação de rotina, um diabético que tenha sofrido infarto assintomático. O eletrocardiograma registra a presença de cicatriz inexistente nos exames anteriores, mas o paciente não se lembra de nenhum episódio doloroso que pudesse justificá-la. Portanto, é muito difícil caracterizar, com exatidão, a dor do infarto, uma vez que sua intensidade varia muito.
De qualquer modo, fenômenos dolorosos prolongados, com irradiação para a mandíbula, costas, braço, ou apenas para a face interna dos braços, associados a dificuldades cardiorrespiratórias, mal-estar, suor exagerado, palpitações, podem ser sintomas de infarto e é importante não atribuí-los erroneamente a problemas na coluna, nos músculos ou nas articulações.
Nesses casos, é indispensável dirigir-se a um pronto-socorro aparelhado para atender a esse tipo de emergência. Se a pessoa pertencer ao grupo de risco e, orientada por seu médico, dispuser de medicação adequada consigo, deve tomá-la na dose prescrita e procurar atendimento médico com urgência.

Fonte: http://drauziovarella.com.br

Comentários