Um medicamento anticoncepcional masculino com efeito duradouro de 10 anos deve chegar aos mercados do mundo em 2023.

Idealizado pelo engenheiro biomédico indiano Sujoy Guha, os estudos para viabilizar o projeto tiveram início na década de 1970, e agora finalmente teve a fase de testes concluída com sucesso.

Ao contrário da vasectomia, que é um procedimento reversível e doloroso, o Risug (acrônimo para “reversível inibição do esperma sob orientação”) é aplicado em forma de injeção, sem dor e de maneira rápida. O gel trabalha de forma a danificar a cauda dos espermatozoides, impedindo-os de fertilizar o óvulo.

A novidade é a proposta da reversão do procedimento. Isso pode ser feito com duas aplicações no local, em uma mistura entre água e bicarbonato de sódio.

Com mais de 30 anos de pesquisa, Sujoy Guha, do Instituto Indiano de Tecnologia, chegou perto de lançar o Risug em 2002. Entretanto, foram encontrados rastros de uma substância na urina dos voluntários, a albumina, que na época foi classificada como tóxica. O professor somente retornou às pesquisas cinco anos depois, e a vacina com efeito contraceptivo agora tem previsão de chegar ao mercado em 2023.

Contraceptivos masculinos: raros no mercado

Existem dezenas de anticoncepcionais desenvolvidos para mulheres. Desde produtos internos até pílulas que impeçam a gravidez.

De acordo com o site do serviço de saúde do Reino Unido (NHS), das 16 escolhas listadas de métodos contraceptivos, 13 são para mulheres. Diante da demora da criação de um contraceptivo voltado para os homens – visto que os efeitos colaterais incluíam acne e alterações de humor, algo “normal” enfrentado pelas mulheres -, o Risug é o “ideal” já que não é produzido a base de hormônios.

Fonte: Estado de Minas

Comentários
COMPATILHAR: