Aumento de salários dos secretários gera polêmica na ALMG

Não houve quórum para o plenário. A sessão foi aberta apenas para receber a proposta de reforma administrativa

COMPATILHAR:

Não houve quórum para o plenário. A sessão foi aberta apenas para receber a proposta de reforma administrativa

A possibilidade de o governador Fernando Pimentel aumentar o salário do primeiro escalão foi alvo de críticas da oposição na Assembleia legislativa de Minas Gerais (ALMG). Segundo Gustavo Valadares (PSDB), o aumento dos secretários vai à contramão das promessas de campanha do PT de pagar o piso aos professores e garantir reajuste ao funcionalismo.
Para o deputado estadual João Leite (PSDB), o PT faz um ?marketing que impressiona?. ?Eles se negaram a votar as sugestões populares ao Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG), querem acabar com a Ouvidoria do Estado e agora aumentar salários. Nem tem secretarias, mas os titulares já foram definidos?, destacou Leite.
Na Assembleia Legislativa, não houve quórum para o plenário. A sessão foi aberta apenas para receber a proposta de reforma administrativa de Pimentel e encerrada em seguida.
Nomeações
Na terça-feira (6), foi publicado no Diário Oficial do Estado a nomeação do médico e ex-secretário municipal Jorge Nahas para a presidência da Fundação Hospitalar (Fhemig).
Já Flávio Menicucci será o novo diretor-geral do Departamento de Obras Públicas (Deop). Cerca de 20 colaboradores do governo passado foram exonerados.

Comentários
COMPATILHAR:

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Aumento de salários dos secretários gera polêmica na ALMG

Não houve quórum para o plenário. A sessão foi aberta apenas para receber a proposta de reforma administrativa.

COMPATILHAR:

Não houve quórum para o plenário. A sessão foi aberta apenas para receber a proposta de reforma administrativa.

A possibilidade de o governador Fernando Pimentel aumentar o salário do primeiro escalão foi alvo de críticas da oposição na Assembleia legislativa de Minas Gerais (ALMG). Segundo Gustavo Valadares (PSDB), o aumento dos secretários vai à contramão das promessas de campanha do PT de pagar o piso aos professores e garantir reajuste ao funcionalismo.

Para o deputado estadual João Leite (PSDB), o PT faz um “marketing que impressiona”. “Eles se negaram a votar as sugestões populares ao Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG), querem acabar com a Ouvidoria do Estado e agora aumentar salários. Nem tem secretarias, mas os titulares já foram definidos”, destacou Leite.

Na Assembleia Legislativa, não houve quórum para o plenário. A sessão foi aberta apenas para receber a proposta de reforma administrativa de Pimentel e encerrada em seguida.

 

Nomeações

Na terça-feira (6), foi publicado no Diário Oficial do Estado a nomeação do médico e ex-secretário municipal Jorge Nahas para a presidência da Fundação Hospitalar (Fhemig).

Já Flávio Menicucci será o novo diretor-geral do Departamento de Obras Públicas (Deop). Cerca de 20 colaboradores do governo passado foram exonerados.

Redação do Jornal Nova Imprensa Hoje em Dia

Comentários
COMPATILHAR:

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.