O alarmante aumento nos casos de dengue no Sul de Minas tem deixado o sistema de saúde cada vez mais sobrecarregado nos municípios que compõem a regional de Passos (MG). Mais de 16,3 mil casos prováveis já foram notificados em 27 cidades.

Só em Passos, onde fica a Santa Casa, que é o hospital de referência para esses municípios, já foram notificados 9.223 casos prováveis.

Em seguida, aparece São Sebastião do Paraíso, com 2.815 casos. Itaú de Minas tem 1.992 registros e Pratápolis, 540. Carmo do Rio Claro tem 365 casos e Monte Santo de Minas, 222 casos prováveis de dengue.

No Pronto Socorro de Pratápolis, o aumento no número de atendimentos a pacientes com sintomas da doença já é de 60%.

A gente notou que no mês de março aumentou absurdamente os casos, por isso a procura no hospital, nos PSFs para fazer o teste de dengue, até para ter um diagnóstico mesmo, então no mês de março foi o nosso boom mesmo. Agora em abril também está tendo bastante casos“, disse a coordenadora da Vigilância em Saúde e Atenção Básica de Pratápolis, Camila Machado de Paula.

No pronto-socorro do hospital, pacientes também aguardam por atendimento médico ou resultado de exames de dengue.

A Rhayane está internada desde ontem. Com dengue pela primeira vez, os sintomas foram tão fortes que ela precisou ser hospitalizada. Na casa dela, toda a família também teve a doença.

Devido ao mal estar que é muito grande, eu precisei internar, também por causa de comorbidade, eu tenho crise convulsiva por isso eu não consegui ficar em casa, não consigo me alimentar, não consigo comer, nem beber nada. A minha mãe está saindo da dengue agora, meu pai também teve dengue há menos de um mês, todos ficamos muito mal“, contou a professora Rhayane Paulino Silva.

Para tentar controlar a situação, dois novos agentes de combate a endemias foram contratados no município para fazer as visitas. O inseticida também tem sido aplicado, mas a chuva prejudicou os trabalhos pela manhã.

Espera estiar para poder retomar as atividades, porque não adianta nada, senão a chuva dilui todo o inseticida que fica no ar, então a gente realmente paralisa temporariamente“, completou a coordenadora de Vigilância em Saúde.

Itaú de Minas também está com o sistema público de saúde sobrecarregado e com a grande procura de pacientes com sintomas no pronto-socorro municipal, a cidade também montou um centro de atendimento para os moradores.

 

Fonte: G1

 

COMPATILHAR: