O Detran-MG está fechando o cerco sobre os Centros de Formação de Condutores (CFCs) que ainda não implantaram o sistema de impressão digital (biometria) para comprovar a freqüência dos candidatos à carteira de habilitação nas aulas de legislação. O órgão está enviando comunicado às Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans) pedindo que informem às autoescolas sobre a reavaliação do sistema de presença dos alunos.
Alguns candidatos que deram entrada no processo em dezembro do ano passado tiveram problemas por não terem a confirmação de presença pelo sistema digital. Conforme divulgou a chefia da Divisão de Habilitação do Detran-MG, cada caso será reavaliado separadamente e, caso seja autorizado, as presenças confirmadas por assinaturas serão lançadas no sistema on-line do órgão.
Para isso, é necessário que as autoescolas façam um requerimento individual dos candidatos, juntando o xerox autenticado do livro de assinaturas do CFC e o certificado físico. Segundo a assessoria de comunicação do Detran, os candidatos que iniciaram o curso teórico a partir de 1º de janeiro deste ano devem ser identificados pela impressão digital para não haver problemas.
Em Formiga, o Ciretram já instalou o sistema digital, conforme informou o secretário do órgão, João Rodrigues. De acordo com ele, os Centros de Formação de Condutores do município já estão comprovando a presença dos alunos pela biometria.
Segundo o instrutor José Reis, o sistema digital está funcionando na cidade, mas com alguns problemas, porque às vezes há congestionamento na rede. José Reis conta que chegou a gastar 18 minutos só para fechar a aula de um aluno. ?Com isso, atrasa tudo, até o início da outra aula. O problema é que a internet às vezes não funciona?, comenta.
Conforme informou o instrutor, devido aos transtornos causados, o Detran-MG abriu uma exceção para os CFCs passarem os certificados de quem já fez o psicotécnico até o dia 31 de dezembro de 2008 sem passar pela biometria, para que os alunos não sejam prejudicados.
Irregularidades
As exigências da biometria foram definidas pelo Detran em 31 de janeiro do ano passado. As autoescolas tiveram prazo para se adequar até 31 de dezembro. Entretanto, no interior do Estado, segundo informações do próprio órgão, a situação é preocupante. O índice de irregularidade entre os 1.320 Centros de Formação de Condutores (CFCs) chega a 27%, já que 358 têm algum tipo de problema. Para forçar a regularização das autoescolas, o Detran bloqueia o sistema de biometria desses estabelecimentos.
O mecanismo, que faz a leitura da impressão digital dos alunos antes e depois das aulas, serve para comprovar sua presença. Foi criado com o propósito de proporcionar mais comprometimento, assiduidade e um aprendizado mais eficiente. Os dados são enviados ao órgão via Internet e servem para garantir o prosseguimento do processo de retirada da CNH, como marcação da prova teórica de legislação e, consequentemente, das aulas de direção.

Comentários